Com a saúde fragilizada, Eurico Miranda adaptou sua rotina para se manter próximo ao Vasco

Na véspera de sua morte, ex-presidente pediu, via Whatsapp, uma cópia do regulamento do Carioca

Por MARCELO BERTOLDO

Velório do presidente do Conselho dos Beneméritos, Eurico Miranda, na Capela Nossa Senhora das Vitórias
Velório do presidente do Conselho dos Beneméritos, Eurico Miranda, na Capela Nossa Senhora das Vitórias -

Rio - A afirmação do filho Eurico Brandão, o Euriquinho, de que o pai colocava o Vasco, muitas vezes, à frente da família e da própria saúde, não é exagero. Depois de superar um câncer na bexiga, diagnosticado em 2000, e outro no pulmão, com mais de dez nódulos constatados, até 2016, Eurico Miranda, muito debilitado pelo tratamento da terceira e mais difícil batalha contra a doença, se adaptou para continuar ligado ao Vasco, até o fim, com seu inseparável charuto.

Até dezembro de 2019, as visitas à Capela de Nossa Senhora das Vitórias eram praticamente diárias. Com dificuldades para subir escadas, ele já havia mandado construir um elevador para a sala da presidência há alguns anos. A dificuldade de locomoção se agravou nos últimos meses e Eurico Miranda passou a usar cadeiras de rodas.

À frente da presidência do Conselho de Beneméritos, ele ganhou um escritório abaixo do parque aquático do clube para facilitar o acesso. Mesmo com uma UTI montada em casa, Eurico Miranda não se sentiu no domingo. Mesmo fragilizado, solicitou, via Whatsapp, no dia seguinte uma cópia do regulamento do Campeonato Carioca, respirando o Vasco até o fim.

Aos gritos de Casaca, Eurico Miranda saiu de cena. Sepultado no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na tarde desta quarta-feira, o ex-presidente do Vasco recebeu o último adeus de familiares, amigos e torcedores. Apesar do tempo fechado, com nuvens cinzentas e trovoadas, cerca de 200 pessoas compareceram à cerimônia, simbolicamente encerrada com o hino clube. Acometido por um tumor no cérebro, Eurico Miranda faleceu na terça-feira, aos 74 anos.

Antes do funeral, o corpo do controverso dirigente foi velado em São Januário até a manhã desta quarta-feira, na Capela de Nossa Senhora das Vitórias. Familiares, amigos, funcionários, personalidades do esporte e torcedores compareceram à missa de despedida a Eurico. No cortejo pelo gramado do estádio, o caixão com o corpo do agora ex-presidente do Conselho de Benemérito se despediu da Colina.

Comentários