Presidente do Vasco admite dificuldades para manter salários em dia, mas projeta dois reforços

Cruzmaltino vive momento financeiro delicado

Por Lance

Alexandre Campello
Alexandre Campello -
Rio - Dois caminhos. O presidente do Vasco, Alexandre Campello, projeta contratar mais dois jogadores para a atual temporada. Por outro lado, ele entende que os atrasos de salários no clube podem voltar a ser uma rotina caso não haja uma venda de atletas até o fim do ano.
LEIA MAIS: CONFIRA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O VASCO

"Já tínhamos uma espinha dorsal: Fernando Miguel, Castan, Andrey, Benítez, Cano e Talles. Trouxemos para jogar e compor. Agora, com o elenco mais formatado, podemos trazer dois jogadores de maior peso para jogarem. Estamos de olho no mercado. Estamos buscando soluções para isso. Na folha salarial tem espaço. O que acontece é que não temos dinheiro para comprar. Tem que ser no talento. Quando se tem recurso, dinheiro, aí é fácil", explicou o mandatário durante transmissão ao vivo no canal no Youtube "Atenção, Vascaíno", na noite desta segunda-feira.

No ano passado, Talles Magno e Ricardo Graça foram monitorados por clubes europeus. Nesta temporada, Raul foi negociado com o Red Bull Bragantino e Marrony foi vendido para o Atlético-MG. Todavia, Alexandre Campello afirma que o fluxo financeiro tende a piorar em breve se outro atleta não gerar um novo montante aos cofres do clube.

"Não tenho proposta por nenhum atleta. Não só o Vasco, mas todos os clubes do futebol brasileiro vão precisar vender ativos para fechar o ano. Eu estava conversando com o presidente de um grande clube de São Paulo que super bem organizado, tem faturamento altíssimo, e ele estava preocupado porque houve mudança na normal contábil: o lançamento do valor pago por uma venda passou a ser no recebimento da verba. Ele estava preocupado porque só receberia no ano seguinte. Ele estava preocupado porque teria déficit", afirmou, antes de concluir:

"É importante para todos. Se não vende, vai ter problema. Não só o Vasco, mas todos os clubes vão ter problemas. Boa parte de dívidas e receitas foram empurrados para frente. Boa parte das cotas de tv. Vamos ter problemas. Não só o Vasco", admitiu.