Por pedro.logato

Rio - Antes de todos os jogos, a comissão técnica do Vasco, além de repassar o que foi combinado nos treinamentos, alerta como está a situação de cada atleta em sua preleção. Desta vez, entretanto, Adilson Batista, de olho nas semifinais, preferiu não arriscar contra o Duque de Caxias, amanhã, e poupará os jogadores que estão pendurados com dois cartões amarelos. O exemplo da reta final do Brasileiro do ano passado foi determinante para a decisão.

Adilson Batista arma o Vasco para o duelo com o Duque de CaxiasDivulgação

Na ocasião, o técnico escalou força máxima contra o lanterna Náutico, no Maracanã, na penúltima rodada da competição. Mas, mesmo com o jogo controlado, o volante Guiñazu e o zagueiro Luan levaram o terceiro amarelo. Sem duas referências do setor defensivo, o time acabou derrotado por 5 a 1 para o Atlético-PR na última rodada e foi rebaixado.

Prestes a disputar as semifinais do Carioca, Adilson pretende mudar de atitude. Tanto que no treino de ontem voltou a escalar a equipe sem Guiñazu, novamente pendurado, e Pedro Ken. Fellipe Bastos e Reginaldo devem ser os substitutos.

“A gente sempre tenta alertar. Alertamos contra o Náutico, ano passado. Na época, Luan e Guiñazu tomaram o terceiro cartão e ficaram fora de um jogo importante. Um estava vindo muito bem e o outro exercia uma grande liderança no grupo. Têm coisas que devemos ter o devido cuidado e pensar à frene. Não podíamos ter levado cartões naquele jogo”, lamentou o treinador, antes livrar seus atletas da culpa: “No calor da partida os jogadores acabam esquecendo.”

Além de Pedro Ken e Guiñazu, Thalles, Bernardo e Montoya também estão pendurados com dois cartões.

Você pode gostar