Adilson ignora vaias após empate do Vasco: 'Sempre sobra para o treinador'

Técnico crítica hábito dos torcedores e lamenta oportunidades perdidas na partida contra o América-RN, em São Januário

Por rodrigo.hang

Rio - A torcida lotou São Januário para assistir ao jogo entre Vasco e América-RN. Durante os 90 minutos de partida, apoiou a equipe cruzmaltina. Mas o empate em 1 a 1 acabou com a paciência dos torcedores, que vaiaram os jogadores e o técnico, Adilson batista. Em entrevista coletiva após o duelo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, o treinador comentou os gritos de 'Burro!' e 'Fora, Adilson!', e revelou já estar acostumado com a situação.

Técnico do Vasco lamenta chances perdidas pelo time contra o América-RNMárcio Mercante

"Já estou vacinado. Desde que cheguei ao Vasco, tento sempre fazer o meu melhor. Mas a responsabilidade é sempre do treinador. Isso é normal no Brasil, é cultural. Acho que vai demorar para os torcedores entenderem. Perdemos apenas três vezes em 2014. Sei o que faço. No Brasil, o torcedor vaia quando a bola é recuada para o goleiro. Mas com o Neuer é bonito. No Brasil, escanteio curto é feito. Mas no Barcelona é bonito. Estou acostumado. Entendo e respeito. Tenho que conviver com isso. O índice de analfabetismo no país é grande. Se a gente for levar para o lado da política, entendemos o atraso. E sempre sobra para o treinador", criticou Adilson.

Kleber defende Adilson após vaias em São Januário: 'Ele não entra em campo'

O treinador do Vasco também comentou sobre uma possível pressão por resultados positivos quando se joga em casa. Para Adilson Batista, atuar em São Januário é sempre importante para o time e não há motivo para atrapalhar a equipe. 

"Não vejo por esse lado (pressão). É sempre gostoso jogar aqui. Tivemos um público fantástico e gostaria de parabenizar o torcedor pelo apoio. Ele incentivou e jogou junto. Pressionamos o adversário, vi o torcedor jogando junto. Não teve pressão contra, ninguém sentiu. Errar faz parte do jogo. Fernando Henrique faz ótimas defesas que atrapalharam nosso objetivo", comentou.

Por fim, o comandante cruzmaltino lembrou das chances perdidas pelo time. Adilson queria uma vitória para a equipe embalar na Série B e se aproximar do G-4 da competição. 

Diego Renan lamenta gol contra: 'A bola bateu em mim, foi uma infelicidade'

"O nosso objetivo era vencer, convencer, entrosar, crescer na competição. Fizemos por merecer, mas infelizmente a bola não quis entrar. Sufocamos, jogamos adiantados, eles tiveram só o gol e mais uma situação. Eles empataram em um erro nosso. Merecíamos melhor sorte pelo nosso volume de jogo, mas a bola não quis entrar. Mudamos nosso jeito de jogar, abrimos mais o time e demos o contra-ataque. Ainda assim o Martin fez apenas uma boa defesa", concluiu. 

Com o empate em 1 a 1 com o América-RN, o Vasco manteve o sétimo lugar na Série B, com 18 pontos. Na próxima rodada, a equipe visita a Ponte Preta no estádio Moisés Lucarelli.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia