Mais Lidas

Justiça dá prazo de 48 horas para Vasco explicar polêmica em eleição

Urna 7 foi motivo de uma representação judicial da chapa de Julio Brant

Por pedro.logato

Rio - Menos de dois dias após o término da eleição presidencial do Vasco, a Justiça tomou uma medida que poder mudar os rumos do clube carioca. O Cruzmaltino tem 48 horas para comprovar o pagamento de todos os associados que votaram na urna 7 utilizada no pleito. A decisão foi da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, da 52ª Vara Cível.

Vasco teve eleições presidenciais na última terça-feiraClever Felix/Parceiro/Agência O Dia

Logo após a vitória da chapa representada por Eurico Miranda, Julio Brant e seus apoiadores afirmaram que iriam entrar na Justiça, alegando irregularidades na urna 7. Nela, o atual presidente do Vasco teve 428 votos, contra apenas 48 de segundo colocado.

No total, a chapa vencedora teve 2.111 votos cotra 1.975 de Julio Brant. Sem a urna polêmica, o opositor teria derrotado Eurico. Brant ficaria com 1.933 contra 1.683 do atual presidente do clube carioca.

Antes da eleição, a urna 7 já havia sido separada das outras em razão de uma medida judicial. Nos meses de novembro e dezembro de 2015, último período para poder votar, houve um grande aumento de adesão entre os sócios do clube carioca. A ação que resultou na separação da urna 7 na votação do Vasco nesta semana foi impetrada pela chapa de Fernando Horta, que ficou na terceira colocação.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia