Tecnologia a favor do autismo na pandemia - Divulgação
Tecnologia a favor do autismo na pandemiaDivulgação
Por O Dia
Itaboraí - Uma série de desafios foi gerada para pais que têm seus filhos com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) durante o período de PANDEMIA e são assistidos pela equipe de profissionais da Clínica-Escola do Autista de Itaboraí. 

A mudança repentina de rotina, a impossibilidade de ter terapias presenciais e a permanência em casa dos alunos-pacientes, deram origem a novas dificuldades, sendo necessário que a unidade encontrasse alternativas complementares à rotina das crianças que, estavam acostumadas a uma agenda cheia de atividades, que precisou ser interrompida de forma repentina com a pandemia.

“A equipe de terapeutas da Clínica-Escola de Itaboraí não poderia ficar de braços cruzados sabendo da necessidade das famílias com as crianças autistas ociosas em casa sem fazer nada que amenizasse esta situação. Foi quando decidimos que, adequados às características de cada aluno, iríamos oferecer atendimentos e atividades on-line”, comentou Márcia.

Assim, a Clínica-Escola de Itaboraí, administrada pelas secretarias de Saúde e Educação, passou a atender seus alunos-pacientes com tarefas semanais que os proporcionam brincadeiras sensoriais junto com a família, exercícios e tarefas simples, permitindo continuar o desenvolvimento mesmo que em casa.

E os benefícios já foram sentidos na casa do Paulo Maurício Azevedo Pereira. Seus dois filhos autistas, Yan Leal Pereira e Yurie Leal Pereira, gêmeos, com 22 anos, receberam as orientações da equipe e colocam em prática as orientações que recebem por vídeo.

“Foi muito boa a iniciativa de não interromper com as terapias, tão importantes no nosso processo de desenvolvimento. E é muito gratificante não só acompanhar, como também fazer parte das atividades junto com meus filhos. Tem semana que jogamos futebol, outra pulamos corda e brincamos de basquete. Completa.