Obra em andamento: movimento aumentou depois da divulgação em rede social - fotos Arquivo pessoal
Obra em andamento: movimento aumentou depois da divulgação em rede socialfotos Arquivo pessoal
Por Jupy Junior
ITAGUAÍ - Manoel Ribeiro Neto, 38 anos, morador de Chaperó, faz aquarelas e ilustração com nanquim, pinturas em tela com acrílica e esculturas, mas, com a pandemia, viu-se em apuros: perdeu um emprego, suas vendas despencaram e não seria mais possível expor como antes. Mas, com criatividade e acesso à internet, conseguiu driblar a crise e ainda ajuda os amigos.
“Fiquei desempregado, e durante 15 dias pensei no que faria para trabalhar para divulgar minha arte, porque não seria mais possível expor nas ruas, feiras e galerias. Foi quando tive a ideia de vender pela internet”, conta Manoel. A primeira coisa que ele fez foi remover todo o conteúdo pessoal e preparar uma página do Facebook para publicar fotos do seu trabalho, na maioria, pinturas com características das xilogravuras nordestinas típicas dos livros de cordel.
Publicidade
LIVES NA MADRUGADA
Formado em Belas-Artes pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, o artista se surpreendeu quando percebeu que conseguiu conquistar mais clientes e aumentar suas vendas, graças às lives e aos contatos que fez usando a rede social. Desde o início da quarentena, ele vendeu cerca de 20 quadros e sete esculturas. “Faço cerca de três lives por semana durante meu momento de criação, sempre durante a madrugada, que é quando eu crio. Então, as pessoas fazem contato interessadas em adquirir a obra”, explica Ribeiro.
Ele conta também que as vendas aumentaram porque muita gente que não conhecia seu trabalho passou a conhecer. Clientes da Europa e de outros estados do Brasil já adquiriram algumas obras, cujos preços variam de 90 a 2 mil reais, a depender do tamanho.
Publicidade
GALERIA VIRTUAL
Depois que a ideia deu certo, Manoel até encontrou tempo para ajudar os amigos e passou a expor os trabalhos dos colegas na sua galeria virtual no Instagram (@galeriadeartemanoelribeiro). “Eles também fazem isso comigo nas redes sociais deles. É um ajudando o outro, as coisas estão difíceis”, comenta Ribeiro.
Para quem quiser acompanhar as lives de Manoel Ribeiro ou quiser participar da galeria virtual criada por ele expondo seus trabalhos, a página do Facebook é www.facebook.com/ateliermanoelribeiro.
Publicidade
As dificuldades dos artistas e artesãos de Itaguaí são cada vez maiores, pois não têm onde expor e sequer podem comprar insumos para a criação dos seus trabalhos. Nos ambientes virtuais os artistas tentam sobreviver e ao mesmo tempo praticar a solidariedade, elemento fundamental nos tempos de hoje.