Prefeitura de Itaguaí diz que compra de cestas básicas é prioridade

Licitação ficou emperrada por causa de desistência de empresas; compra e distribuição ainda não têm previsão para acontecer

Por Jupy Junior

Distribuição das cestas ainda não tem previsão para acontecer, diz em nota a prefeitura
Distribuição das cestas ainda não tem previsão para acontecer, diz em nota a prefeitura -
ITAGUAÍ – Em nota publicada na sua página oficial na rede social Facebook, a Prefeitura de Itaguaí diz que a compra das cestas básicas para distribuição para os alunos da rede municipal de ensino é prioritária e que não tem poupado esforços para que a licitação enfim aconteça. A nota diz ainda que a compra está na sua fase final e que as cestas serão distribuídas em breve.
Em abril, a prefeitura (ainda sob a gestão de Carlo Busatto Junior, o Charlinho), iniciou o processo número 5837 para aquisição de cestas básicas. Porém, essa licitação foi para comprar cestas para apenas dois meses. Graças a esse processo, a prefeitura distribuiu cestas básicas compradas da empresa Horto Central Marataízes Ltda nos meses de maio e junho. Valor do contrato: 3,24 milhões para a compra de 39 mil cestas básicas.
Um termo aditivo que solicita acréscimo de 25% no Pregão Eletrônico 042/2020 teve parecer desfavorável da Procuradoria Geral do Município porque, segundo a prefeitura, o prazo do contrato já havia terminado. Por esta razão, foi necessário abrir um novo pregão para adquirir mais cestas para mais dois meses, o que ocorreu apenas em 3 de julho, uma semana antes de Carlo Busatto Junior (Charlinho) e Abeilard Goulart de Souza Filho (Abelardinho) terem seus mandatos cassados pela Câmara Legislativa.
MAIS UMA LICITAÇÃO
A empresa vencedora da nova licitação - Super Cestas de Alimentos Eireli - desistiu do contrato sob a alegação de que o valor de alguns itens teve um aumento repentino de preços na semana do fornecimento e que não seria possível arcar com as despesas, principalmente por causa dos itens arroz e óleo.
Em outra nota, desta vez para a reportagem, a prefeitura disse que não tem como dar uma previsão para a distribuição das cestas básicas porque “houve a tentativa de fazer a compra em caráter emergencial, mas a contratação não ocorreu devido à desistência de duas empresas. Hoje, a prefeitura está analisando a documentação de uma nova empresa para realizar a compra das cestas. Estão também em andamento os procedimentos internos para remarcar uma nova licitação”.

Comentários