O município tem 256 casos de coronavírus confirmados sendo 82 pacientes recuperados e 14 óbitos - Arquivo/Secom PMM
O município tem 256 casos de coronavírus confirmados sendo 82 pacientes recuperados e 14 óbitosArquivo/Secom PMM
Por O Dia
Macaé - Um novo estudo apresentado nesta sexta-feira (8) por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - campus Macaé - reforça a eficácia das medidas adotadas pelo prefeito Dr. Aluízio dos Santos no enfrentamento ao contágio local do coronavírus. No entanto, a análise ressalva que o cenário na cidade ainda é de alerta.
Os dados fazem parte da nota informativa atualizada pelo Grupo de Trabalho Multidisciplinar para Enfrentamento do Covid-19 e ilustra, através de gráficos, que os decretos assinados pelo prefeito, que impõem restrições a atividades econômicas, bloqueio de acesso a espaços públicos e que impedem a aglomeração garantiram o efeito de “achatamento da curva” dos casos de infecção e até morte provocados pelo vírus.
Publicidade
“As políticas públicas de isolamento passaram a ter um efeito maior por volta do dia 21 de abril, podendo talvez ser consequência das políticas de mitigação de contágio adotadas pela prefeitura”, avalia o estudo.
O último decreto (066) editado na quinta-feira (6) por Dr. Aluízio estende até o dia 26 de maio o isolamento social na cidade. No entanto, o grupo de trabalho aponta que ainda não é hora de enfraquecer essa estratégia de enfrentamento ao contágio local do coronavírus.
Publicidade
“Pelo contrário. Essas medidas devem ser mantidas ou intensificadas para que a curva de infecção não retorne ao patamar inicial ou pior, tendo consequências nefastas para toda a população, como falta de leitos e aumento na quantidade de óbitos”, reforça a análise.
Até hoje, Macaé registra 256 casos confirmados, 82 pacientes recuperados e 14 óbitos. Vale destacar que a cidade não registra há sete dias novo óbito por coronavírus.