Ricardo Bichão sofreu na pele na infância as dificuldades da desigualdade social em Macaé  - Reprodução
Ricardo Bichão sofreu na pele na infância as dificuldades da desigualdade social em Macaé Reprodução
Por O Dia
Macaé - Assista agora, às 15h, a entrevista de Ricardo Bichão (PRTB), pré-candidato a prefeito de Macaé, na série de lives promovida pelo jornal O DIA sobre as eleições municipais. Comandam a conversa o colunista político Sidney Rezende e o jornalista José Eduardo Vieira.


A transmissão é simultânea pelos links https://www.youtube.com/watch?v=pXBdQKFFWFI e https://www.facebook.com/odiajornal/videos/1017263732045883/. Você pode participar enviando perguntas pelas redes sociais.

As lives com pré-candidatos são uma iniciativa pioneira do jornal O DIA, com o objetivo de apresentar à população as propostas dos postulantes à Prefeitura. Assim, será possível decidir o voto com informação de qualidade.

Aos 40 anos, o pescador Ricardo Carvalho, natural do bairro Nova Holanda, em Macaé, vêm fazendo história com sua simplicidade. Filho de uma empregada doméstica e de um pedreiro, Ricardo sofreu na pele as dificuldades da desigualdade social, na cidade onde cresceu e reside até hoje.

Sem muitas vezes ter o que comer, saiu cedo de casa para trazer o alimento de cada dia. Ao lado de seus três irmãos, catava “Guaiamum”, espécie de caranguejo muito encontrado nos mangues da região onde ainda tem residência.

Algum tempo depois, aos nove anos, começou a puxar caixas pesadas de gelo para vender aos pescadores no Mercado de Peixes de Macaé, o principal do município. Muitos viraram clientes de Ricardo por terem conhecimento de sua história de vida. Ainda criança, trocou as brincadeiras por ajudar seus pais nas tarefas domésticas. Cresceu aprendendo a ser responsável e enfrentou a vida como ela realmente é. Ricardo também limpava camarão para ajudar nas despesas de sua família.

Foi aos 15 anos de idade que teve uma brilhante ideia e construiu seu primeiro barco, o que tanto sonhava. As dificuldades enfrentadas na vida não abalaram o jovem que transbordava de esperanças.

Com sorriso no rosto, trabalhava todos os dias na construção do barco, e já não via a hora de navegar e trazer o sustento. Aos 18 anos adentrou ao mar para pescar camarão, o que na época, trouxe maior ganho. Chegava a ficar 4 dias em alto mar e só retornava para casa quando a embarcação estivesse totalmente carregada. Por sua coragem, recebeu o apelido de “Bichão”, nome forte, que expressa fé e perseverança.

Foram anos exercendo a atividade pesqueira, mas sempre almejando chegar mais longe e empreender no negócio. Foi através dos pensamentos positivos que finalmente conseguiu a esperada estabilidade financeira para ele e sua família. Fundou sua própria empresa, que atua no mercado offshore com diversas embarcações de alta qualidade e tecnologia.

Hoje, o homem que sonhava conquistou seu espaço e trouxe para a realidade o que era apenas um sonho. Fundou projetos sociais que vêm transformando a vida de crianças, jovens e adultos, principalmente na cultura e no esporte, onde é um dos maiores incentivadores locais.