Nesta segunda-feira, na revista "The New England Journal of Medicine", um artigo foi publicado detalhando alguns pontos do estudo
Nesta segunda-feira, na revista "The New England Journal of Medicine", um artigo foi publicado detalhando alguns pontos do estudoAFP PHOTO / DOMINICK REUTER
Por O Dia
Novos testes apontaram que a vacina da Pfizer contra a covid-19 é capaz de neutralizar as três novas variantes do coronavírus. Nesta segunda-feira, na revista "The New England Journal of Medicine", um artigo foi publicado detalhando alguns pontos do estudo. Segundo a publicação, especialistas da Universidade do Texas e da equipe de desenvolvimento do imunizante utilizaram uma versão isolada do vírus para fazer teste com as mutações britânica, brasileira e sul-africana.
Para o ensaio, os pesquisadores produziram três vírus recombinantes de acordo com as mutações apresentadas nas variantes e outras duas versões cogitando outras mutações da variante sul-africana. De acordo com a pesquisa, a vacina apresenta uma resposta "robusta" contra as variantes que surgiram no Reino Unido e em Manaus. No caso da mutação atribuída a África do Sul, o imunizante apresentou uma neutralização mais baixa, porém eficiente. 
Publicidade
Anteriormente a Pfizer já tinha anunciado a eficácia da vacina contra as variantes britânica e sul-africana. Contudo, a novidade é a neutralização da variante registrada no Brasil. Apesar de parecerem promissoras, as conclusões ainda são limitadas. A pesquisa foi realizada com 15 pacientes que receberam a vacina e depois entraram em contato com as versões do vírus em laboratório.
O governo federal informou, nesta segunda-feira, que a farmacêutica norte-americana Pfizer vai entregar ao Brasil 14 milhões de doses da sua vacina contra covid-19 até junho deste ano. O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o presidente da Pfizer, Albert Bourla, hoje, por videoconferência, e pediu a antecipação de lotes do imunizante, que foi desenvolvido em parceria com empresa de biotecnologia alemã BioNtech.