Tombado pelo Inepac, Canto Sul de Itaipu passa por obras de requalificação

Trecho da praia, histórico por seus sambaquis, está recebendo restauração paisagística, a organização dos estacionamentos, uma praça de eventos e rampa com acessibilidade ao banho de mar

Por Irma Lasmar

Trecho da orla de Itaipu é tombado como patrimônio histórico estadual por seus ricos sambaquis
Trecho da orla de Itaipu é tombado como patrimônio histórico estadual por seus ricos sambaquis -
Niterói - Será concluída na semana que vem a primeira etapa das obras de revitalização do Canto Sul da Praia de Itaipu, que recebeu restauração paisagística, a organização dos estacionamentos, uma praça de eventos e rampa com acessibilidade ao banho de mar para pessoas com dificuldades de locomoção, principalmente cadeirantes, além de decks de madeira. O projeto foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Planejamento e Modernização da Gestão (Seplag), por meio do programa Programa Região Oceânica Sustentável, e contou com investimentos da Cooperação Andina de Fomento (CAF) no valor de R$ 1,9 milhão. (Veja fotos na galeria abaixo)
O Canto Sul é o trecho da Praia de Itaipu tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) por sua riqueza arqueológica. Em escavações científicas na Duna Grande e na Duna Pequena, ali foram descobertos ricos sambaquis com um grande volume de objetos produzidos por índios - os primeiros habitantes desta região. Esse acervo se encontra atualmente abrigado no Museu Arqueológico de Itaipu por sua alta relevância para o resgate histórico da identidade niteroiense. O acesso a esse recanto atravessa o pequeno comércio da tradicional comunidade de pescadores, a Colônia Z7, herdeira dos saberes milenares da pesca artesanal praticada na Reserva Extrativista Estadual da Marinha de Itaipu, que integra a unidade de conservação de uso sustentável. O recanto é guardado pela maravilhosa vista do Morro das Andorinhas.
Leia também: retomada-hoje--reurbanizacao-da-avenida-marques-do-parana-termina-em-junho

O prefeito Rodrigo Neves explica que as intervenções tiveram como objetivo ordenar melhor o espaço público, evidenciar ainda mais o patrimônio local, aumentar as potencialidades turísticas e valorizar a cultura pesqueira tradicional da região. “Identificamos que esta área precisava passar por um processo de requalificação. Todas as intervenções foram desenhadas para manter a facilidade do acesso e circulação dos moradores e visitantes do bairro, principalmente aos usuários que apresentam algum tipo de dificuldade motora”, enfatizou ele, destacando ainda que, para o novo paisagismo, foi preservado o maior número de espécies existentes, privilegiando aquelas do ecossistema da mata pluvial atlântica de restinga e em condições saudáveis.

“Buscamos fazer com que todos estes espaços criados no projeto estivessem integrados entre si, mantendo as características ambientais e identificando suas potencialidades produtivas, propondo práticas e estratégias para o desenvolvimento sustentável, que permitissem integrar o Canto de Itaipu ao uso coletivo da população”, contou o prefeito. A segunda etapa do projeto consiste na construção de pequenas edificações de apoio para a atividade pesqueira, com a participação da Coordenação da Economia Solidaria. Os novos espaços terão salas de reunião, de administração e depósito de pescado. A previsão é que estas intervenções sejam concluídas no segundo semestre.

Galeria de Fotos

Trecho da orla de Itaipu é tombado como patrimônio histórico estadual por seus ricos sambaquis Divulgação / Berg Silva
Projeto inclui, entre outros itens, melhores acessos à praia para deficientes físicos Divulgação / Berg Silva
Próxima fase consiste na construção de pequenas edificações de apoio para a atividade pesqueira Divulgação / Berg Silva

Comentários