Niterói ampliará sistema de sirenes com mais cinco além das 32 existentes

Rede de alarmes avisa sobre possíveis riscos na região e virou um grande aliado no combate à covid-19

Por O Dia

Além dos alertas de riscos e chuvas, as sirenes da Defesa Civil se tornaram ferramentas de comunicação direta com a comunidade sobre a pandemia
Além dos alertas de riscos e chuvas, as sirenes da Defesa Civil se tornaram ferramentas de comunicação direta com a comunidade sobre a pandemia -
Niterói vai ganhar cinco novas sirenes de alertas nas comunidades do Caramujo, Caniçal, Boa Esperança e Jurujuba até 15 de junho, que serão instaladas em pontos estratégicos. Hoje, são 32 alarmes em 27 pontos da cidade. A Secretaria de Defesa Civil e Geotecnia do município conta com um sistema de alarmes que era operado pelo Governo do Estado e foi municipalizado em maio de 2016, quando a Prefeitura assumiu a manutenção dos equipamentos. No último ano, duas novas sirenes foram integradas à rede de alertas da Defesa Civil na cidade.
Segundo o secretário de Defesa Civil, Wallace Medeiros, as sirenes recebem manutenção periódica que inclui testes silenciosos e de checagem. Além disso, o município possui 46 pluviômetros automáticos. “Os aparelhos permitem o monitoramento, em tempo real, do volume de chuva que incide em cada região. Isso possibilita a tomada de decisões e ações de avaliação de risco e de eventuais evacuações das áreas. Até meados de junho, teremos 37 sirenes em operação. As novas ficarão no Caramujo (2), no Caniçal (1), no Boa Esperança (1) e em Jurujuba (1). As estruturas começaram a ser preparadas na última semana e toda instalação será concluída até 15 de junho”, explicou o secretário.
Além dos alertas em casos de riscos e chuvas, em meio à pandemia do novo coronavírus as sirenes da Defesa Civil se tornaram ferramentas de comunicação direta com a comunidade, que nem sempre tem acesso pela internet às informações sobre o isolamento social. “Envolvendo a participação da população nos seus processos preventivos e de resposta aos desastres, a Defesa Civil contou com o apoio das lideranças comunitárias das referidas localidades, bem como dos integrantes dos Núcleos de Defesa Civil, para indicarem as regiões para o posicionamento das sirenes e isso foi fundamental. As sirenes também são usadas sistematicamente para instruir a população sobre cuidados com higiene e com a casa, o uso de máscaras, a data da retirada dos benefícios e outros informes oficiais. É uma maneira fácil e ágil de chegar a todos”, ressaltou Medeiros.
Em julho de 2018, Niterói se tornou a primeira cidade da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, tirando a capital, a possuir rede pluviométrica autônoma, operada 100% pela Defesa Civil Municipal. Os locais de instalação dos equipamentos são: Alarico de Souza (Zulu), Bairro de Fátima, Beltrão, Biquinha, Boa Vista, Bonfim, Coronel Leôncio, Grota, Iara, Igrejinha, José Leomil, Maceió, Martins Torres, Morro da Penha, Morro do Bumba, Morro do Castro, Morro do Cavalão, Morro do Estado, Morro do Palácio, Pé Pequeno, Peixe Galo/Salinas, Preventório, Retiro Saudoso, Santa Bárbara, São José, Teixeira de Freitas e Viradouro.
A Defesa Civil conta com plantão 24h de monitoramento meteorológico, com envio detalhado de informações sobre a previsão do tempo. Para receber as mensagens, os moradores devem enviar um SMS para 40199 informando seu CEP. O cadastro é gratuito. Para acessar o aplicativo Alerta DCNIT, o morador deve acessar sua loja de aplicativos e selecionar o programa. Em caso de emergência, a população deve ligar para 199 ou 2620-0199.

Comentários