Ele passou por várias rádios, incluindo a Rádio Globo, antes de se dedicar à Tupi - Reprodução/YouTube/Mídia de Verdade
Ele passou por várias rádios, incluindo a Rádio Globo, antes de se dedicar à TupiReprodução/YouTube/Mídia de Verdade
Por Irma Lasmar
NITERÓI - Morreu ontem (quinta, 27), às 22h50, no Complexo Hospitalar de Niterói (CHN), o radialista e empresário Alfredo Raimundo Filho, aos 87 anos, de infarto agudo do miocárdio, após 25 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva Cardiológica. Com mais de 50 anos de atuação na radiodifusão brasileira, foi diretor geral da Rádio Tupi e diretor gerente dos Diários Associados, além de vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas de Rádio e Televisão (Abert). 
Raimundo Filho começou a carreira na Rádio Difusora de Petrópolis, como repórter esportivo, em 1954. Em setembro de 1959, foi contratado pela Rádio Globo do Rio, onde permaneceu até 1963. Também integrou a equipe esportiva da Rádio Guanabara (1963-1965). Na carreira de administrador, foi diretor geral da Rádio Imperial de Petrópolis (1965/1968); superintendente da Rádio Tiradentes, hoje Rádio Globo de Belo Horizonte/MG (1968/70); diretor geral da Rádio Farroupilha de Porto Alegre/RS, emissora dos Diários Associados (1970); diretor administrativo e financeiro das rádios Tupi e Tamoio do Rio de Janeiro, também emissoras dos Diários Associados.
Publicidade
Em 1974 implantou e lançou Radio Tupi FM, exclusivamente de música, que em 2000 se tornou a Nativa FM, ocupando até 2016 a Direção Geral do grupo Tupi (incluindo a AM fundada em 1935 e transmitida desde 2009 em ambas as frequências). Foi agraciado em 1962 com a medalha de ouro como o melhor repórter esportivo do estado da Guanabara, em eleição promovida pela Revista do Rádio, recebendo-a das mãos do governador Carlos Lacerda. Teve como companheiros de equipe esportiva Dolacei Camargo, Jorge Curi e João Saldanha, entre outros.