Justiça e Cidadania: A batata do promotor

Prefeita cassada de Paty dos Alferes quer queimar o filme de fiscal da lei

Por thiago.antunes

Rio - Cassada pelo TRE por compra de votos, a prefeita eleita de Paty do Alferes, Lúcia de Fátima, a Batata, do PMDB, quer queimar o filme do promotor Charles Amitay Weksler. Pediu a anulação do processo sob a alegação de que ele não poderia ter atuado no caso.

Eis que a mulher dele, Deborah Weksler, trabalhava na prefeitura desde 2012. Em janeiro, Batata, como prefeita, nomeou-a secretária de Ação Social, Habitação e Direitos Humanos. Em maio, ela passou a ser diretora na Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos, Habitação e Trabalho, do prefeito Rachid Elmôr, beneficiado com a cassação de Lúcia de Fátima.

Só pra lembrar

De fato, um promotor é fiscal da lei. Charles Amitay Weksler comunicou o afastamento do processo da Batata ao procurador-geral Marfan Vieira no dia 19 de fevereiro, mais de um mês depois que a mulher dele foi nomeada secretária.

Se o promotor agiu corretamente ou não, vamos aguardar a palavra do Ministério Público, que não se pronunciou nesta segunda-feira.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia