Suspeitos de matar parentes de estilista da Complexo B são presos pela DH

Polícia fez buscas pelo empresário, ex-cunhado de Beto Neves, que seria o mandante do crime. Acusado de matar trio disse que receberia R$ 100 mil

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Dois suspeitos de participar da morte de Linete Louback Neves e de Manuella Neves da Câmara Coutinho Bouri, mãe e sobrinha do estilista da grife Complexo B Beto Neves, além do noivo da jovem, Rafany Ribeiro, foram presos entre a tarde de quinta-feira e a manhã desta sexta-feira por policiais da Divisão de Homicídios (DH) de Niterói e São Gonçalo. A apresentação foi feita na manhã desta sexta.

O caso ocorreu em agosto deste ano. Segundo a polícia, o advogado Michel Salim, ex-padrasto de Manuella, é o mandante do crime. Ele teria pago R$ 100 mil pela morte da ex-enteada, com quem tinha problemas pessoais.

Material apreendido em Camboinhas

Na manhã desta sexta-feira, os agentes da DH estiveram na casa do empresário em Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói. Ele não foi encontrado e uma busca foi feita no local. Segundo testemunhas, desde o crime ele pouco apareceu na residência e diversos pertences foram retirados do local por terceiros. Os policiais apreenderam um laptop, duas câmeras digitais e fotos do advogado.

Acusados de matar parentes de Beto Neves foram apresentados nesta sextaOsvaldo Praddo / Agência O Dia


"Ele (Salim) já é considerado foragido. Temos provas contundentes", disse o delegado Wellington Vieira, da DH, responsável pelas investigações. Segundo ele, o crime está quase solucionado.

O desenrolar do caso começou com a prisão de Pablo Jorge de Medeiros, na última quinta-feira. Ele aparece no inquérito de posse de um dos celulares levados das vítimas. Na DH, o suspeito confessou que participara indiretamente do crime, segundo o delegado.

Ele afirmou aos policias que foi contratado para levar de carro um homem identificado apenas como Marcos até o condomínio em Venda da Cruz, São Gonçalo, onde Manuella e a avó moravam. Pablo fez a descrição do suposto assassino e foi confeccionado um retrato falado.

Wellington Vieira, porém, suspeita da versão de Pablo e acredita que ele seja o executor dos crimes, devido a riqueza de detalhes. Ao contrário da suspeita inicial da polícia de que alguém do relacionamento da família teria entrado com facilidade no imóvel, Pablo revelou que o suposto assassino aguardou a saída de uma das vítimas da casa para entrar no imóvel sem a necessidade de invasão. Os três foram mortos com tiros na cabeça.

Estilista Beto Neves esteve na delegacia para acompanhar a elucidação do casoAlessandro Costa / Agência O Dia


No depoimento, ainda segundo o delegado, Pablo apontou Romero Gil da Costa, de 54 anos, segurança de Salim como o contratante do serviço e o advogado como o mandante. A polícia conseguiu então na justiça três mandados de prisão e seis de busca a apreensão.

O delegado disse que em depoimento Romero revelou que pagou R$ 100 mil pela morte de Manuella. Ainda segundo o policial, ele contou que Salim queria dar uma lição em Rosilene Neves, mãe de Manuella, com quem teve duas filhas menores de idade. Ele tinha sofrido derrotas na Justiça por questões envolvendo as meninas. A avó e o noivo de Manuella ó teriam sido assassinados porque estavam na casa

Ex-mulher registrou 40 boletins contra Salim

Ao advogado tinha sido concedido pela Justiça apenas a chamada visita vigiada, na presença de alguém de confiança da família. Manuella na maioria das vezes estava presente. Nesses encontros, a vítima costumava discutir com Salim acusando de maltratar as menores. Ela, inclusive, segundo o delegado, foi morar com a avó devido ao histórico de brigas com o ex-padastro quando ele era casado com Rosilene. A ex-mulher tinha registrado quase 40 boletins registrados contra Salim. A maioria por injúria, agressão e não cumprimento de ordem judicial.

De acordo com Wellington Vieira, Salim, Romero e Pablo serão autuados por homicídio triplamente qualificado. Ele fez um apelo aos advogados de Michel Salim apresentem o cliente na DH. A polícia esteve no duplex da mão do advogado, em Icaraí, zona Sul de Niterói, na casa de outros parentes e no escritório dele, mas o acusado não foi encontrado.

Linete, Manuella e Rafany foram encontrados mortos na residência das duas primeiras, em São Gonçalo, na Região Metropolitana, no último dia 27 de agosto.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia