Derrubada total da Perimetral usará várias técnicas

Limpeza vai durar 60 dias e, para evitar problemas no trânsito, o entulho será removido de madrugada. Após reciclado, material será usado nas obras da região

Por thiago.antunes

Rio - O que restou da Perimetral virá abaixo de três formas diferentes. O trecho de 750 metros, entre a rodoviária e a Avenida Professor Pereira Reis, com estrutura similar à demolida no domingo (concreto e vigas de aço), será implodido no início de 2014.

Já a parte entre a Rua Silvino Montenegro e a Praça Mauá, por não ter pilares de sustentação que permitam a implosão, e por ter casarões centenários, será “desmontada quase artesanalmente, a partir desta semana. O trecho entre a Praça Mauá e o Santos Dumont, formado apenas por concreto, será demolido após escoramento de sua estrutura.

Implosão deixou marcas e certeza de muito trabalho para equipes

A implosão do trecho de 1.050 metros do Elevado da Perimetral no domingo deixou marcas e a certeza de muito trabalho pela frente às equipes que trabalham na revitalização da Zona Portuária.Em paralelo aos esforços para fazer com que a rotina dos moradores e trabalhadores da região fosse retomada, seis frentes de trabalho iniciaram nesta segunda-feira a limpeza da Avenida Rodrigues Alves.

O que restou do trecho implodido do Elevado da Perimetral%3A mais de 5 mil toneladas de destroços começaram a ser removidas ontem Severino Silva / Agência O Dia

Depois de uma verificação minuciosa para conferir se havia restado alguma dinamite por explodir, equipamentos como escavadeiras e tesouras mecânicas iniciaram a retirada dos resíduos da implosão. A operação deve ser finalizada em 60 dias. Para evitar transtornos ao trânsito, o concreto será removido em caminhões durante a madrugada. Após reciclado, o material será reaproveitado em outras obras na área do Porto.

Segundo o presidente da concessionária Porto Novo, o engenheiro José Renato Ponte, as obras de drenagem começarão ao mesmo tempo que a limpeza: “A implosão foi o primeiro passo. A prioridade agora é o início das obras de drenagem da Avenida Rodrigues Alves, o que será feito conforme a pista seja liberada. Dez novos deságues em direção à Baía de Guanabara serão criados, de forma a fazer com que não existam mais alagamentos no local”.

Outra obra crucial que deverá ser iniciada em breve é a construção das paredes do emboque do Túnel da Via Expressa, na altura da Rua Silvino Montenegro. O projeto inclui novas redes de energia, iluminação e esgoto. A revitalização também beneficiará os morros próximos. Uma coletora da Cedae levará o esgoto para a Estação de Alegria, no Caju. Além disso, uma adutora levará água tratada da Barreira do Vasco ao Morro do Pinto. O projeto inclui troca da rede antiga de tubulações.

Operário caminha sobre os véus que serviram para conter o materialsSeverino Silva / Agência O Dia

Vistoria dá aval a prédio afetado

Nesta segunda-feira, funcionários do prédio que abriga a Vara da Infância temiam voltar ao serviço por conta dos danos causados com a implosão. O deslocamento de ar causou o empenamento de duas portas e sete esquadrias, além da quebra de 20 janelas. Engenheiros da Defesa Civil e da Concessionária Porto Novo realizaram vistoria no local e não constataram riscos. A Porto Novo se prontificou a custear os reparos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia