Aos 93 anos, morre a ex-vedete Virgínia Lane

Artista estava internada no CTI do Hospital São Camilo, em Volta Redonda, desde o último dia 2

Por daniela.lima

Volta Redonda - A ex-vedete Virgínia Lane, de 93 anos, morreu nesta segunda-feira, de falência múltipla dos órgãos. Ela estava internada desde o último dia 2 em estado grave no CTI do Hospital São Camilo, em Volta Redonda. A artista, teve uma piora em seu estado clínico, na manhã desta sexta-feira. O boletim médico divulgado pela unidade de saúde afirmava que a artista já não estava mais lúcida, e apresentava um quadro de pneumonia, insuficiência respiratória, além de uma grave infecção urinária. 

Virgínia Lane%2C em 2008%2C durante comemoração do aniversário do Rio de Janeiro%2C no CentroCarlos Rosa / Agência O DIA


Em janeiro, Virgínia esteve internada durante duas semanas, na mesma unidade de saúde devido a uma infecção urinária. Ainda no mês passado, a ex-vedete esteve em Belém do Pará onde foi coroada embaixatriz do carnaval local.

'A Vedete do Brasil'

Virgínia Giaccone é o nome de registro de Virgínia Lane. Ela foi atriz e cantora de muito sucesso no Brasil dos anos cinquenta. Nasceu em 20 de fevereiro de 1920 no Rio de Janeiro e fez parte do time de belas vedetes que ficaram famosas na década de 50 com os espetáculos musicais do Teatro de Revista.

Começou a carreira em 1943, trabalhando como corista do Cassino da Urca. Em 1948, se tornou vedete de Teatro de Revista e logo passou para a companhia de Walter Pinto, que era a mais importante. Foi quando estourou na rádios com a marchinha "Sassaricando" que vem sendo cantada até os dias de hoje pelos foliões no carnaval. 

Virgínia Lane na época em que era vedeteDivulgação


Lançou pelo menos 24 discos em 78 rpm com várias marchinhas que ficaram conhecidas. Gravou também o "Meu América", para o seu time de futebol, que foi grande sucesso.

Virgínia Lane foi uma das artistas com mais prestígio na época do governo Getúlio Vargas, com quem teve um caso. Em entrevista de 1994, ela confessa: “Tive um caso durante 15 anos com o presidente Getúlio Vargas. De 1930 a 1945”. Ele lhe deu o título de "A VEDETE do BRASIL". Suas pernas eram famosas e sempre fazia questão de mostrá-las, mesmo quando ficou mais velha.

Virgínia Lane foi casada duas vezes. Em 1970, com o segundo marido, passou a morar em um sítio em Piraí (RJ), onde fixou residência. Ao completar 90 anos, em 2010, foi homenageada pela cidade que escolheu com milhares de vozes cantando Sassaricando, a marchinha que a atriz eternizou. A atriz era presença constante nas cerimônias de abertura do carnaval carioca.

No final de janeiro deste ano recebeu a última homenagem. A ex-vedete participou das comemorações antecipadas do Carnaval de Belém (PA), onde foi coroada embaixatriz do carnaval paraense.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia