Por thiago.antunes

Rio - O motorista de uma Kombi de transporte alternativo da Ilha do Governador foi baleado ontem de manhã por policiais do Batalhão de Choque, após furar blitz que ocorria na Cacuia. Atingido de raspão por tiro de fuzil na perna, Cleiton Pereira de Araújo, de 21 anos, foi medicado e liberado. A delegada-adjunta da 37ª DP (Ilha), Carolina Marins, aguarda o depoimento do motorista para o domingo.

Segundo ela, os PMs contaram que o disparo foi acidental, pois, segundo eles, a viatura bateu num buraco e o fuzil disparou. A Kombi e a arma foram encaminhadas para a perícia. O laudo deve ficar pronto em até 30 dias. Os PMs estavam em apoio a fiscais do Detro que faziam blitz na Rua Copiúva, perto do Cemitério da Cacuia. Testemunhas contaram que o motorista não atendeu o pedido dos policiais para que parasse o veículo e arrancou.

Houve perseguição pela via. No momento em que o motorista furou a barreira da fiscalização, não havia passageiros dentro da Kombi. Somente um amigo de Cleiton estava no veículo com ele e já foi chamado a depor. A delegada disse que o depoimento de Cleiton pode esclarecer o motivo de ele ter tentado fugir da barreira. Ela afirmou, após fazer pesquisa em sistema, que a habilitação dele estava em situação regular.

Cleiton foi socorrido e levado para o Hospital Evandro Freire, na Ilha. O hospital informou à delegada que ele sofreu pequena lesão na perna e que o fragmento não chegou a atingir os ossos, somente músculos e pele. Não foi possível recolher nenhum fragmento do projétil para análise. A delegada informou ainda que, se ficar comprovado que o disparo foi acidental, a apuração do caso será feita somente pela delegacia. Caso haja suspeita de que o tiro não foi acidental, ela enviará as informações para a Corregedoria da PM. O Detro e o Batalhão de Choque não deram informações sobre o caso.

Você pode gostar