Moradores do Complexo da Maré protestam após morte de morador

Soldado da Marinha teria matado morador. Esta é a segunda morte desde que começou o processo de pacificação na região. Grupo tentou fechar Avenida Brasil, Linha Amarela e Linha Vermelha

Por tiago.frederico

Rio - Um clima de tensão toma conta da Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, na manhã deste sábado. Um soldado da marinha teria matado um morador da comunidade, identificado apenas como Jeferson, de 20 anos, que trabalhava em um lava jato. As circunstâncias da morte ainda não foram esclarescidas. Por volta das 9h40, o rabecão chegou ao local para retirar o corpo.

Revoltados com a morte, moradores da comunidade chegaram a fechar parcialmente a Avenida Brasil, no sentido Zona Oeste, mas foram dispersados pela polícia. Após, seguiram para a Linha Amarela, onde colocaram barricadas e atearam fogo, interditando uma faixa da pista sentido Barra da Tijuca.

Os militares dispersaram os manifestantes, que seguiram para a Linha Vermelha e fecharam duas faixas da pista sentido Centro. Eles foram novamente dispersados pela polícia. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, não há interdições, no momento, na Avenida Brasil, Linha Vermelha e Linha Amarela.

Esta é a segunda morte no Complexo da Maré, desde que começou o processo de pacificação. No dia 30 de março, o adolescente de 15 anos Vinícius Guimarães foi morto durante uma confusão na Rua Evanildo Alves, após ser baleado por um traficante conhecido como Caveirinha. Outros dois adolescentes ficaram feridos na confusão entre jovens das favelas Nova Holanda e Baixa do Sapateiro, no Complexo da Maré.

>>> LEIA: DH identifica adolescente acusado de ter matado jovem no Complexo da Maré

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia