Maré: tropa do Exército permanecerá no complexo por tempo indeterminado

Em reunião realizada no Palácio Guanabara, Pezão e ministro da Justiça decidiram manter a ocupação

Por paloma.savedra

Rio - Após reunião realizada na manhã desta terça-feira com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o governador Luiz Fernando Pezão anunciou a permanência da Força de Pacificação do Exército no Complexo da Maré. Conforme anunciou O DIA, em 29 de junho, o governo já pretendia prorrogar a permanência da tropa, que está desde 5 de abril na região, e, inicialmente, ficaria até 31 de julho. Ainda não há previsão para a saída das Forças Armadas do conjunto de favelas. Porém, no dia 11 de agosto, o executivo estadual e órgãos da União voltam a se encontrar para debater a transição das forças de segurança.

Veja fotos da ocupação da Maré pelas Forças Armadas, em abril

Segundo Cardozo, a medida foi tomada em decorrência do "sucesso da operação": "Houve acordo porque a operação está sendo muito bem sucedida, e, por conta disso, entendemos a necesidade de prorrogação", declarou ele. O ministro destacou ainda que o prazo de permanência da tropa no complexo, assim como os procedimentos de transição das forças de segurança, voltarão a ser debatidos. 

Militares do Exército permanecem no Complexo da Maré por tempo indeterminado; transição das forças de segurança voltará a ser debatidaSeverino Silva / Agência O Dia

O encontro, realizado no Palácio Guanabara, contou ainda com a presença do ministro da Defesa, Celso Amorim; do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general José Carlos de Nardi; do comandante Militar do Leste, general Francisco Carlos Modesto; do chefe do Centro de Operações do Comando Militar do Leste, do general Jorge Antônio Smicelato; da secretária Nacional de Segurança, Regina Miki; do diretor-geral do Departamento de Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra; e od secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame.

Ao todo, 2.400 militares do Exército ocupam a Maré. Eles vieram de quartéis do Paraná e do Rio Grande do Sul e chegaram no fim de maio para substituir os soldados cariocas, que foram atuar no esquema de segurança da Copa.

Adiamento
A pendência para a instalação da Unidade de Polícia Pacificadora foi, justamente, a realocação feita pela Secretaria de Segurança para atuar na Copa. O efetivo da UPP Maré já está formado — 1.000 dos novos policiais concluíram o curso de formação na semana passada.

Mas antes de encarar o desafio de pacificar um dos principais redutos do tráfico do Rio, terão que cobrir as férias dos PMs do interior do estado, que foram canceladas para reforçar o patrulhamento da Região Metropolitana durante o Mundial. O benefício suspenso em junho será reposto nos meses de agosto e setembro.

O planejamento da Secretaria de Segurança previa a ocupação em meados do primeiro trimestre. Em 30 de março, o conjunto de favelas foi retomado pelo Bope. Uma semana depois da varredura feita pelos ‘caveiras’, a Força de Pacificação assumiu o patrulhamento da Maré em 5 de abril.

Dias antes da entrada das forças de segurança, o maior traficante da região — que liderava 11 das 15 quadrilahs locais — foi preso pela Polícia Federal. Marcelo Santos das Dores, o Menor P., estava escondido em Jacarepaguá.

Últimas unidades do ano

As três UPPs do Complexo da Maré serão as últimas instaladas no ano e na atual gestão estadual. Segundo fontes da Segurança Pública, não haverá efetivo suficiente nem tempo para isso, já que a PM terá três eventos de grande porte pela frente:as eleições de outubro, a Operação Papai Noel e o Réveillon, em dezembro.

As unidades fecham — e ultrapassam — a conta feita inicialmente pela Secretaria de Segurança de instalar 40 unidades até 2014. Na Maré, os locais ainda não foram definidos, nem os oficiais que comandarão as unidades.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia