Em entrevista, Crivella diz que homossexualidade é pecado

Declaração foi em programa de televisão. Candidato não respondeu se sancionaria lei contra a homofobia

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Em entrevista concedida a um programa da TV Bandeirantes, na madrugada desta quarta-feira, o candidato do PRB ao governo do Estado Marcelo Crivella não respondeu se sancionaria a lei que pune estabelecimentos públicos e privados que agirem com discriminação contra homossexuais. A lei esteve em vigor entre 2000 e 2012 e foi derrubada pelo Tribunal de Justiça por um caráter meramente técnico. De autoria do deputado estadual Carlos Minc, a Justiça entendeu que deveria partir do Executivo a proposta de lei por prever punições a servidores publicos.

Candidato não respondeu se sancionaria lei contra a homofobia no estadoJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Ao responder se sancionaria o PL 2054/2013, Crivella disse temer que a lei pudesse restringir a atuação de religiosos nas igrejas. Disse ser contra a homofobia, mas afirmou que a homossexualidade é pecado. Enquanto esteve em vigor, não houve notícia de ação de homossexuais usando a lei contra entidades religiosas. A aprovação na Assembleia Legislativa encontra resistência sobretudo na bancada religiosa.

"Sou contra qualquer tipo homofobia. Mas no meio evangélico tem um medo de que esse projeto de lei da homofobia extrapole e tire o direito dos pastores de dizer que o homossexualismo é pecado. Eu acredito que homossexualismo não é doença, mas é pecado, porque eu acredito na Bíblia, e esse é o meu direito", disse Crivella. 


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia