Justiça decreta prisão de lutador acusado de estupro

Jovem, de classe média alta, se valia de sua condição social e do medo das vítimas de denunciar para continuar impune

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - O juiz Marco Couto, titular da 2ª Vara Criminal de Jacarepaguá, na Zona Oeste, decretou a prisão preventiva do lutador Renan Menezes de Souza, acusado de estuprar uma jovem em abril deste ano. De acordo com a denúncia do Ministério Público, ele praticou o crime mediante violência após dar uma carona para a vítima e levá-la para um local deserto. O caso aconteceu depois de saírem de uma festa.

A vítima, que passou por exame de corpo de delito que confirmou a violência sofrida, fez a denúncia. Também consta no processo que Renan tentou intimidar amigos da jovem através de telefonemas e mensagens postadas numa rede social. Ele também teria feito pelo menos outras duas vítimas.

“Diante das mencionadas informações (...) inexiste qualquer dúvida – mínima que seja – quanto à necessidade da prisão cautelar do réu”, destacou o juiz.

O jovem, de classe média alta, se valia de sua condição social e do medo das vítimas de denunciar para continuar impune. “Talvez acreditando que a sua condição social – classe média – lhe garanta alguma proteção jurídica, o acusado age como se pudesse fazer o que bem quisesse”, acrescentou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia