Acusado de agredir a ex-namorada para roubá-la é preso

Homem marcou encontro com vítima em Santa Cruz

Por thiago.antunes

Rio - Acusado de agredir e roubar o celular e R$ 880 da ex-namorada, Ildo Santos Rocha, de 45 anos, foi preso nesta quinta-feira por policiais da 22ª DP (Penha). Os agentes foram cumprir um mandado de busca e apreensão na casa do criminoso, que fica em Santa Cruz, na Zona Oeste, e encontraram o telefone da vítima.

Segundo investigadores da 22ª DP, na última terça-feira, Ildo marcou um encontro na Penha com Barbara Cristina Francisco da Silva, de 25, para entregar um documento. Logo em seguida, começou a agredi-la. Pedestres que passavam pelo local viram a agressão e conseguiram defendê-la.

Ainda segundo os policiais civis, o acusado fugiu levando documentos, celular e R$ 880 da ex-namorada, com quem namorou quatro anos e estava separado há cerca de um mês. “Ela contou que o acusado estava querendo reatar o relacionamento, mas ela não queria. No dia do fato, a vítima foi covardemente agredida, com lesões faciais e maxilares, e chegou aqui na delegacia para registrar a queixa. Imediatamente, começamos a apurar o caso e hoje (ontem) encontraram na casa do Ildo o celular da Barbara”, contou o delegado Reginaldo Guilherme, titular da 22ª DP.

Sobre a quantia em dinheiro e os documentos da ex-namorada, o suspeito ainda terá que prestar contas, disse Reginaldo Guilherme. “Ele estava tentando fugir para a Bahia, quando foi preso pelos agentes”, afirmou outro delegado, Carlos Eduardo Rangel, adjunto na 22ª DP. Este informou ainda que o acusado responderá por roubo e, caso seja condenado, pode ficar até 10 anos na cadeia.

“Neste caso, o crime de roubo, que é mais grave, absorve a lesão corporal, que constituiu o meio violento que conota o próprio crime de roubo”, explicou o delegado Rangel. Já o delegado Reginaldo Guilherme aproveitou o caso para avisar às mulheres que, caso sejam vítimas de agressões, procurem uma delegacia para que as providências cabíveis sejam tomadas. “É um fato muito triste e covarde. As mulheres que se sentirem ameaçadas ou caso sejam agredidas, procurem uma delegacia, que o caso vai ser investigado”, afirmou o policial.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia