Polícia prende acusado de chefiar Liga da Justiça, maior milícia da Zona Oeste

'Gão' foi localizado pelos agentes em Cosmos portando um fuzil e outros armamentos

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Policiais da Divisão de Homicídios (DH) prenderam, na tarde desta terça-feira, Marcos José de Lima Gomes, conhecido como 'Gão', apontado como o líder da Liga da Justiça, maior milícia que atua na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele foi localizado pelos agentes em Cosmos, bairro da região, portando um fuzil e outros armamentos. Para efetuar a prisão, cerca de 20 agentes da DH cercaram a casa onde o suspeito estava com a esposa e a filha de dois anos. A criança chegou a ser usada de escudo quando os policiais entraram na residência.

'Gão' foi localizado em casa portando um fuzil Divulgação

De acordo com informações da investigação policial, 'Gão' ou 'Hambúrguer' seria o substituto, na chefia da milícia, do ex-PM Toni Ângelo Souza Aguiar, também conhecido como Erótico, que estava à frente da milícia mais violenta da Zona Oeste.

Desde que assumiu o controle do antigo grupo, os crimes cometidos por Toni Ângelo vinham sendo investigados por duas delegacias. O paradeiro dele foi descoberto quando policiais do 40º BPM (Campo Grande) foram acionados para uma ocorrência de homicídio numa boate da região.

Após uma discussão, Toni teria trocado tiros com o agente penitenciário Anderson Terra dos Santos, filho do também ex-PM e miliciano Júlio César Oliveira dos Santos, o Julinho Tiroteio, que está preso. Anderson, que tinha 28 anos, morreu com três tiros enquanto Toni Ângelo, ferido, foi levado para o Hospital Oeste D'or, com tiro no rosto. Gão teria ido a boate onde ocorreu o crime, e tirado todas as câmeras de segurança, para não identificar o ocorrido.

Em janeiro de 2009, a justiça havia libertado o miliciano Marcos José e Toni Ângelo, que foram flagrados por uma câmera do circuito interno do estacionamento de um shopping em Campo Grande circulando com armas e sem o uniforme da corporação. As imagens deixaram bem claro que os soldados estavam em busca de alguém, que segundo as investigações seria um rival do grupo paramilitar do ex-deputado Natalino José Guimarães e seu irmão, o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o “Jerominho”, ambos do PMDB. Os parlamentares foram presos e estão respondendo por crime de formação de quadrilha, por financiar a milícia na região Oeste do Rio de Janeiro.

Em junho de 2009, Gão, foi preso novamente na Operação da Policia Civil, batizada de Temis. Na operação foram presos 43 acusados de fazer parte da milícia.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia