Superlua iluminou os céus do Rio e encantou cariocas e turistas

Ontem, o satélite natural ficou 30% mais brilhante ao atingir o ponto mais perto da Terra

Por O Dia

Rio - Cariocas e turistas esticaram a praia, ontem, para tomar um banho de lua. De uma superlua. O espetáculo, batizado de supermoon, em inglês, mereceu aplausos no mirante do Arpoador, onde desde cedo dezenas de pessoas se reuniram para assistir de camarote ao alinhamento entre Sol, Terra e Lua, quando o nosso satélite natural está no ponto mais próximo da Terra, a 356.896 quilômetros de distância.

Confira a galeria: Superlua no Rio e no mundo

'Superlua' no Rio EFE/Reuters/Severino Silva / Agência O Dia/Alessandro Buzas/Agência O Dia


Às 17h40 em ponto, a lua despontou no horizonte fazendo a alegria dos banhistas. “Hoje acordei olhando o céu. De manhã, já queria vir para a praia e esperar pela lua, que está maravilhosa”, disse, emocionada, a empresária Cláudia Chalhoub, 52 anos, moradora do Catete.

O entusiasmo, porém, durou pouco. Com o céu nublado, a lua cheia ficou encoberta por nuvens. Quem teve paciência de esperar foi recompensado. Antes das 19h, ela saiu de trás das nuvens e iluminou os céus da cidade.

Para Josina Nascimento, responsável pelos cálculos e edição do Anuário do Observatório Nacional, nos locais onde o tempo esteve bom foi possível acompanhar o fenômeno entre o nascer e o pôr da lua, hoje, às 6h41.

Segundo a astrônoma, a superlua acontece seis vezes por ano. Ontem, ela atingiu o perigeu, quando chega a 90% de aproximação da Terra. O nome foi dado por Richard Nolle, há 30 anos, e ocorre nos períodos de Lua Nova ou de Lua Cheia.

Na Lua Cheia, a Terra está no centro; quando é Lua Nova, a lua é que está no centro do alinhamento.
No dia 8 de setembro haverá uma nova superlua. A melhor visualização será às 22h38, e ela chegará mais perto da Terra à meia-noite e meia. Segundo o Observatório Nacional, o fenômeno voltará a se repetir no dia 28 de setembro.

Últimas de Rio De Janeiro