Incêndio na serra é motivo de prisão

Homem foi flagrado no Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Fogo já chega à parte mais alta

Por tabata.uchoa

A sucessão de incêndios florestais de grandes proporções continua a se alastrar na Região SerranaFernando Frazão / Agência Brasil

Rio - Um homem foi preso em flagrante na noite de quinta-feira por atear fogo em uma propriedade do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, na Região Serrana do Rio. A prisão foi feita por policiais do Comando de Polícia Ambiental (CPAM), com apoio de agentes da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), vinculada à Secretaria de Estado do Ambiente. Por conta do incêndio criminoso, as chamas atingiram grandes proporções, em área aproximada de 400 hectares.

O homem foi conduzido para a 106ª DP, em Itaipava, prestou depoimento e foi liberado em seguida. Uma perícia do local foi solicitada aos bombeiros. Desde quinta-feira, as autoridades realizam operações de fiscalização ambiental com o objetivo de identificar pontos que deram origem aos supostos incêndios criminais nas proximidades do parque.

Segundo o coordenador de Combate aos Crimes Ambientais, coronel José Maurício Padrone, incêndios ocorridos de forma natural na Mata Atlântica são raras exceções. Em boa parte há alguma intenção ou descuido do ser humano.

“As pessoas aproveitam esta época de prolongada estiagem, baixa umidade do ar e temperaturas muito altas para colocar fogo no lixo proveniente de limpeza de terreno e perde o controle do fogo, geralmente propagando em direção a floresta”, comentou.

Neste sábado, as autoridades passaram o dia conscientizando a população do entorno do parque para evitar novos focos de incêndio. Os moradores foram orientados a denunciar vizinhos que estejam ateando fogo para limpar terreno ou ainda com o objetivo de aumentar a propriedade. O número da linha verde é 0300-253-1177.

FOGO DUPLICOU

Cerca de 1.330 hectares de vegetação nativa da Mata Atlântica já foram atingidos pelos incêndios no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em 11 dias. O último levantamento da área atingida pelo fogo foi feito neste sábado, quando se constatou o dobro do registro anterior, feito na sexta-feira, que contabilizou 700 hectares.

Na parte alta do parque, divisa entre Petrópolis e Teresópolis, foram 856 hectares queimados na região dos morros do Mamute e Cubaio. Outros 420 foram destruídos na região do Jacó, às margens da BR-495, e 55 hectares no Quebra Frascos, em Teresópolis.
O incêndio chegou aos campos de altitude, um dos ecossistemas mais raros da Mata Atlântica. Isso foi constatado em um sobrevoo do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Ibama.

Combate a focos por terra e pelo ar

Pelo menos cinco helicópteros fornecem suporte aéreo no combate aos incêndios do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Como existe carência de água na região, aeronaves das polícias Militar e Civil, do Corpo de Bombeiros, da Marinha e do Ibama fazem lançamentos de água captada de piscinas de residências próximas.

Por terra, cerca de 80 brigadistas do ICMBio e Ibama seguiram ontem para a nova frente de avanço das chamas. A equipe recebeu reforço de homens dos parques nacionais da Tijuca e Jurubatiba, além de voluntários. Um blindado da PM será utilizado a partir deste domingo para transportar mais rápido a brigada.

A área atingida pelo incêndio é monitorada constantemente por sobrevoo de helicóptero, imagens de satélite e registros de focos de calor disponibilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Agentes do Ibama no Rio e Nova Friburgo fiscalizam as origens suspeitas de fogo, na região de Itaipava, Jacó, Bonfim e Macumba, e monitoram também as margens da Rodovia BR-495.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia