Filhos de coração do Rio

Eles chegam e, rapidamente, incorporam carioquice no bronzeado, na leveza e no sotaque

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Tá no jeito despojado de se vestir, no bronzeado do corpo, nos costumes e, em alguns casos, até mesmo no sotaque arrastado e malandro. As marcas da carioquice dariam, ao primeiro olhar, a certeza de que eles nasceram por aqui. No entanto, apesar da desenvoltura com que circulam por becos, vielas e calçadão da praia, já chegaram adultos ao Rio e garantem: não pretendem se mudar nunca mais. São alguns dos milhares de ‘forasteiros’ que se apaixonaram pela Cidade Maravilhosa e a adotaram nesses 450 anos. Esses cariocas de coração tentam explicar o porquê do encantamento e apontam o que temos de melhor e pior.

Morador de Ipanema, figurinha fácil nas redes de futevôlei e imortalizado no hall da fama do Maracanã, Renato Gaúcho confessa que suas origens, hoje, se restringem ao apelido ganho em 1987, quando foi contratado pelo Flamengo. “O carioca é mais alegre, leva a vida de forma mais feliz e usa poucas roupas. Mesmo sem grana, pode ir à praia e apreciar a beleza da mulher mais bonita do mundo, no famoso ‘teste da areia’. É impossível não se apaixonar por esta cidade”, sentencia o eterno craque.

Renato Gaúcho tem jeito e alma de carioca. O eterno ídolo de Fla e Flu ganhou títulos%2C mas foi conquistado pelo RioMaira Coelho / Divulgação

Nascido em Guaporé, a cerca de 150 km da capital Porto Alegre, ganhou a alcunha de Rei do Rio nos anos 90 pelas conquistas dentro — e fora — de campo. “Esta será a minha ‘casa’ para sempre”, garante.

O sorriso do ídolo das torcidas de Flamengo e Fluminense, que também jogou no Botafogo, só se fecha ao falar daquilo que considera o que temos de pior: a violência. “Tenho uma filha adolescente, o Rio é uma cidade turística. Me assusta a violência que vem do asfalto e da favela.”

Balneário dos sonhos de Renato, o Rio continua sendo o eldorado para outros tantos que aportam por aqui em busca de oportunidades. Nos canteiros das obras, migrantes que agem como cariocas e se orgulham de construir obras importantes dão o seu pitaco.

“Percorri boa parte do país fazendo obras, mas me encontrei no Rio. A receptividade é única. O pobre e o rico convivem muito bem nos mesmos ambientes”, opina o paraibano Clóvis Dias, que trabalha na Linha 4 do metrô. De negativo, ele cita a preguiça do povo. “Quem ‘levanta’ as obras são os nordestinos. Carioca faz corpo mole”, garante, ao lado dos conterrâneos Luciano Souza e Manoel Alves, todos ‘adotados pela cidade’.

Com os amigos na praia%2C a argentina Deborah Carnohous já incorporou o jeito carioca de ser%3A “O povo te acolhe como em nenhum outro lugar”Fernando Souza / Agência O Dia

E nessa Torre de Babel tem espaço para todos os idiomas. Semana passada, em Copacabana, um grupo de argentinos tirava fotos com um ‘pau de selfie’. No Rio, para estudar, já cediam ao modismo local e conseguiam reconhecer os dois lados do carioca.

“O melhor e o pior do Rio é o povo. Te acolhe como em nenhum outro lugar, mas precisamos ter cuidado. Senão, ao repararem que somos estrangeiros, tiram vantagem em tudo. Já aprendi que, quando saio, preciso me ‘camuflar’. Na Lapa? Só ando de vestido e sandália rasteira. Pronto. Virei carioca”, se divertia a argentina Deborah Carnohous.

TESTE

1 - Quando um amigo diz a um conhecido ‘passa lá em casa’, em quanto tempo este encontro acontecerá?

A) Em duas horas
B) Em dois dias
C) Em dois anos
D) Nunca

2 - Qual o figurino preferido do carioca para ir ao cinema?

A) Camiseta e tênis
B) Seja qual for o clima, chinelo de dedo e bermuda
C) Camisa polo e calça jeans
D) Camisa social

3 - Domingo de sol, praia lotada. O vendedor de mate diz que o copo custa R$ 5. O que fazer?

A) Pechinchar e pedir um ‘chorinho’
B) Reclamar muito, desistir e terminar o diálogo com um ‘valeu, irmão!’
C) Tentar ‘desenrolar’ dois por R$ 8
D) Apelar para o emocional e dizer ‘só tenho R$ 4’.

4 - Verão, época de comidas leves. Qual o prato a ser pedido no restaurante?

A) Churrasco
B) Feijoada
C) Dobradinha
D) Todas as opções anteriores.

5 - Amigos te convidam para uma comemoração. O que com certeza não irá faltar?

A) Música eletrônica e energético
B) Funk, samba e cerveja
C) Camarote, champanhe e sertanejo universitário
D) Abadá, axé e ice

Respostas:
1 - D
2 - B
3 - D
4 - D
5 - B 

Se você acertou a maioria, é um legítimo carioca, mesmo sem ter nascido aqui! 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia