PDT aposta as fichas em Crivella

Partido convida senador para ser seu candidato à prefeitura em 2016

Por nicolas.satriano

Rio - Para ter um nome de peso nas eleições para a prefeitura em 2016 e para o governo do estado em 2018, o PDT convidou o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) para compor seus quadros, numa mostra de que o rompimento do partido com o PMDB é iminente. A ideia partiu do presidente pedetista Carlos Lupi, que se encontrou duas vezes com o senador, segundo colocado nas eleições para o governo do Rio em 2014.
Nos planos de Lupi, Crivella é a “prioridade” para os próximos pleitos. O senador seria responsável pela ampliação das bases do PDT.

Crivella é aposta de PDT para a prefeituraFoto%3A Agência O Dia/ Carlo Wrede

O argumento usado pelo comandante do partido nas conversas era de que a excessiva ligação do senador com a Igreja Universal do Reino de Deus e com seu líder, bispo Edir Macedo, gera rejeição e prejudica as votações.

Mas o senador não se animou com a perspectiva de ficar de fora da disputa pela Prefeitura do Rio em 2016, desejo que começou a manifestar e anunciar tão logo foi derrotado pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) no segundo turno do ano passado. A maioria dos pedetistas defende o apoio do partido ao candidato lançado pelo PMDB e creem que Crivella “não tem o perfil” do PDT.

Lupi negou, ao ser perguntado, se o convite a Crivella é prova de que PDT está perto de deixar o amplo arco de alianças dos governos do PMDB. “Cada sofrimento terá o seu tempo”, respondeu o presidente pedetista.

Crivella afirmou apenas que se sentiu “honrado” com o convite feito pelo PDT, mas sinalizou que deve continuar no PRB. Pelo menos até as eleições de 2016.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia