Nova Iguaçu ganha nova sala de fisioterapia mastológica

Mais amplo e climatizado, o novo espaço vai dispor também de hidroterapia e terapia ocupacional

Por O Dia

Kátia Cristina e outras pacientes ficaram felizes com a nova sala de fisioterapia mastológica
Kátia Cristina e outras pacientes ficaram felizes com a nova sala de fisioterapia mastológica -
Nova Iguaçu - “A fisioterapia mastológica recuperou minha autoestima e vem me dando cada vez mais qualidade de vida. As sessões me trouxeram a mobilidade dos braços de volta”. O depoimento emocionado é de Kátia Cristina Teixeira, 52 anos, ela é uma das mulheres que tiveram câncer de mama e fazem sessões de fisioterapia pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em Nova Iguaçu.

Para dar mais conforto no atendimento a ela e outras mulheres, a Prefeitura entregou nesta segunda-feira, dia 28, uma nova sala de fisioterapia, mais ampla e climatizada. Antes, as sessões eram realizadas em uma sala na Policlínica Dom Walmor.

O novo espaço começa a funcionar, a partir de segunda-feira, dia 4 de novembro, no Centro de Atenção em Saúde Funcional Ramon de Freitas (Casf), no bairro Jardim da Viga e possibilitará ainda que as pacientes, além das sessões de fisioterapia mastológica, participem também de outras atividades, como terapia ocupacional e hidroterapia.

Outra novidade é a possibilidade de ampliar o número de mulheres atendidas. Atualmente cerca de 40 fazem o tratamento em Nova Iguaçu pelo SUS.

“Essas sessões são muito importantes para nós mulheres que passamos por uma mastectomia, pois trazem a reabilitação física e funcional. Fazer as sessões em um espaço como este, nos dará mais acolhimento”, elogia Kátia Cristina.

A nova sala de fisioterapia mastológica faz parte de um conjunto de investimentos que estão sendo feitos pela Prefeitura para melhorar o atendimento e tratamento oncológico para essas mulheres. No Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI), o ambulatório de ginecologia e mastologia foi totalmente reformado.

As salas receberam novos móveis, manutenção elétrica, hidráulica e troca dos pisos. Cerca de 600 pessoas são atendidas mensalmente somando as duas especialidades.

“Investir em políticas públicas em saúde é salvar vidas. Em Nova Iguaçu, a luta pelo diagnóstico precoce e o tratamento do câncer de mama é feito o ano inteiro, não apenas em outubro. São investimentos que ficarão como legado para população. Sabemos que muito ainda precisa ser feito e vamos continuar investindo”, garante o prefeito, Rogerio Lisboa.

Nesta terça-feira, dia 29, será a vez das pacientes com câncer de mama atendidas pela Coordenadoria de Mulheres ganharem também um novo espaço. A nova sala, onde são realizadas palestras e reuniões motivadoras, foi decorada para dar mais acolhimento e humanização.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários