coronel Leandro Monteiro, secretário estadual de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJ
coronel Leandro Monteiro, secretário estadual de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJdivulgação
Por Coronel Leandro Monteiro*
Poucas instituições no Brasil conquistaram a unanimidade de opiniões e sentimentos como o Corpo de Bombeiros. É aos bombeiros que os cariocas e fluminenses, por exemplo, dedicam um afeto pessoal, sabendo que tem neles um forte aliado para os imprevistos da vida cotidiana. Preferências à parte, todos esses serviços prestados com excelência estão vinculados à uma contribuição específica: a taxa de incêndio.
Muitas pessoas não sabem, mas é por meio desse valor pago pelo cidadão que a instituição investe em equipamentos, formação de pessoal, viaturas, uniformes e demais insumos necessários ao trabalho da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros.

Um trabalho que é possível ver nas ruas, mas difícil imaginar a dimensão. Somente nos primeiros 50 dias do ano, o Corpo de Bombeiros RJ foi responsável por cerca de 9.500 mil socorros relacionados a eventos de trânsito, 8.200 atendimentos pré-hospitalares e 7.300 operações terrestres, incluindo ações de busca e salvamento. Os combates a incêndios ultrapassaram 7.600 ocorrências. Mais de três mil operações marítimas foram feitas até o momento. Além do resgate de pessoas no mar, foram realizadas quase 175 mil ações de prevenção a afogamentos e encaminhadas mais de 561 crianças perdidas a seus responsáveis nas praias do Rio.

Já temos confirmados investimentos imediatos, na ordem de R$ 65 milhões, que serão destinados à compra de veículos 4x4, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), cestas básicas, colchonetes, kits de higiene e água e mais 140 milhões na aquisição de 70 viaturas de combate a incêndio com capacidade de cinco mil litros de água totalmente equipada com desencarceradores, geradores, almofadas pneumática, exaustores e outros equipamentos de ponta. Até o final deste ano, os valores devem chegar a R$ 400 milhões.

E não é só isso: a taxa de incêndio torna possível que qualquer pessoa ao ligar para o número 193, tenha à disposição uma equipe bem treinada e equipada chegando ao local solicitado, pronta para enfrentar adversidades como deslizamentos, incêndios e explosões, realizar socorros em atropelamentos e colisões de veículos, resgates nas praias, transporte intra-hospitalares de pacientes e órgãos e também distribuição de vacinas. Todos a postos para salvar vidas e patrimônios, seja por via terrestre, aérea ou marítima, nos 92 municípios do estado.

Por isso, é fundamental que todos façam sua parte com responsabilidade, poder público e cidadãos, para que os recursos arrecadados e investidos continuem proporcionando essa série de serviços essenciais e fundamentais à sociedade que vai muito além da missão popularmente conhecida de apagar incêndios: a missão suprema Vida alheia e riquezas salvar!

Agora que já sabemos de tudo isso, podemos contar com você?

É secretário de estadual de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJ,