Prefeita Fátima Pacheco afirma que é necessária mais velocidade para a aquisição das doses.
Prefeita Fátima Pacheco afirma que é necessária mais velocidade para a aquisição das doses.Foto: SECOM/Phillipe Moacyr
Por Bertha Muniz

QUISSAMÃ - A Prefeitura de Quissamã, no Norte Fluminense, assinou adesão ao consórcio da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) para a aquisição de vacinas contra a Covid-19. Com essa decisão, Quissamã se torna um dos primeiros municípios da região a aderir à iniciativa da FNP. Desde dezembro do ano passado, o município tem se planejado para comprar a vacina, quando foi assinado um termo de entendimento com o Butantan para adquirir 36 mil doses da Coronavc. Porém, o Ministério da Saúde ficou responsável por toda a distribuição do imunizante.

Inicialmente, a compra das doses seria realizada pelo Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento do Norte e Noroeste Fluminense (Cidennf). Mas, para um planejamento mais rápido, a prefeita Fátima Pacheco decidiu integrar o consórcio da Frente Nacional dos Prefeitos. O objetivo é criar mais possibilidades para a chegada de vacinas ao município, não dependendo somente do Plano Nacional de Imunização (PNI).
"Estamos passando por um momento delicado em todo o país, acompanhamos isso diariamente. Necessitamos de mais velocidade para a aquisição das doses, mas sempre mantendo a união entre municípios, estados e Governo Federal. Hoje, temos mais condições de conseguir as vacinas pela Frente Nacional dos Prefeitos, que está dialogando com os laboratórios internacionais, até mesmo com preços reduzidos" disse a prefeita Fátima Pacheco.

Vacinação segue em Quissamã

Enquanto busca alternativas para adquirir mais vacinas contra a Covid-19, Quissamã segue o seu planejamento. Na quinta-feira (4), a equipe esteve na unidade da Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Morro Alto, vacinando os idosos de 75 anos e mais. Na sexta, será a vez dos idosos da mesma faixa etária na ESF de Alto Grande. Nesta quinta-feira (4), Quissamã recebeu mais 190 doses do Governo do Estado.
Para evitar aglomerações em um período de pandemia da Covid-19, a Secretaria de Saúde tem utilizado os dados dos idosos cadastrados nas unidades. Com isso, os agentes comunitários de saúde ligam para os idosos e agendam um horário, não sendo necessário ir à unidade antes de ser avisado pelo agente.