Polícia faz operação para combater fraude em sistema do Detran

Agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática já cumpriram 10 dos 36 mandados de prisão expedidos

Por tiago.frederico

Rio - A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) realiza, nesta terça-feira, uma nova etapa da operação Backdoor, que apura fraudes no sistema do Detran para autoescolas, o Centro de Formação de Condutores (CFC) Digital, que gerou aulas fictícias, sem que os alunos efetivamente estivessem presentes.

A ação, criada em 2013, reúne nesta edição 200 policiais e tenta cumprir 36 mandados de prisão, 112 de busca e apreensão e 280 de condução coercitiva. Até o momento, dez pessoas já foram presas.

Segundo o delegado Alessandro Thiers, titular da especializada, as fraudes ocorreram através de um software que violou a chave de segurança do sistema CFC Digital, permitindo gerar as aulas fictícias. As autoescolas envolvidas nas fraudes serão descredenciadas por improbidade administrativa por inserção de dados falsos no sistema público.

De acordo com o Detran, os ex-alunos que teriam se valido do esquema da quadrilha para não frequentarem as aulas das autoescolas, além de serem objeto de inquérito criminal, responderão a um processo administrativo, o que poderá resultar na cassação de suas carteiras.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia