Cinco apps para substituir o WhatsApp durante o bloqueio

Confira sugestões de programas para sobreviver ao 'apagão' de 72 horas determinado pela Justiça

Por marlos.mendes

Rio - A suspensão do Whatsapp por determinação da Justiça deve causar transtornos entre os usuários, mas isso não é motivo para pânico. Há várias alternativas tão funcionais quanto o original. A equipe da PSafe listou alguns programas que podem ser usados no lugar do WhatsApp:

Line
Criado no Japão, o app existe desde 2011 e permite a publicação de informações no formato de linha do tempo, tal como acontece no Facebook. Além disso, é possível ligar para pessoas que estejam usando o programa no computador. Quem baixa o app faz ligações, compartilha vídeos, fotos e troca mensagens instantâneas.

WeChat
Assim como o WhatsApp, WeChat faz chamadas e envia mensagens. A diferença é que, neste app, também é possível fazer chamadas de vídeo em grupo. Ou seja, você reúne vários amigos e consegue ver cada um deles numa parte da tela. O app está disponível nos principais sistemas operacionais.

Viber
Outro app gratuito e uma concorrência pesada para o WhatsApp é o Viber. Ele possui todas as funções que o app bloqueado no Brasil tem. Porém, suas chamadas por áudio possuem uma qualidade superior e o Viber também tem emojis diferentes. Para quem procura novidades, esta é uma ótima opção.

O Telegram é uma das boas alternativas ao WhatsApp e foi o primeiro a ter criptografiaDivulgação

Telegram
A internet só fala deste app como o grande substituto do WhatsApp. O app é recente e surgiu em 2013 como concorrente das opções acima. Também utiliza os contatos da agenda para interação, é gratuito e permite que o usuário personalize cada janela de conversa com uma imagem específica.

Facebook Messenger
Se você tem um perfil no Facebook já conhece muito bem este app. Afinal, a rede social basicamente obrigou os usuários a baixarem a extensão. Nela você consegue ligar, trocar mensagens e ainda ver o perfil do Facebook de quem você está conversando. Também mostra o horário de visualização das mensagens e até a localização, se a opção for habilitada pelo usuário. Para quem não se importa com privacidade esta é a melhor pedida.


Outra alternativa para a abstiência forçada de WhatsApp é instalar uma VPN (virtual private network) no celular, o que deve ser feito com cautela para não correr o risco de vazamento de informações pelo smartphone. Para tal, é aconselhável usar programas de proteção, como o PSafe Total, que avalia os aplicativos instalados no aparelho e alerta em caso de riscos.

Suspensão por 72 horas
As operadoras de telefonia foram notificadas a interromper os serviços do WhatsApp a partir das 14 horas desta segunda-feira, cumprindo decisão do juiz Marcel Montavão, da comarca de Lagarto, em Sergipe. A decisão se deve ao fato de o Facebook, dono do WhatsApp, não ter entregue dados de usuários investigados por tráfico de drogas.

Em março, o vice-presidente do Facebook na América Latina, Diego Jorge Dzodan, foi preso por um dia porque a rede social, dona do aplicativo de comunicação, não entregou os dados de usuários para a investigação.

Em dezembro de 2015, a justiça mandou suspender o WhatsApp por 48 horas, mas uma liminar concedida às operadoras fez o apagão durar apenas 12 horas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia