Novo conceito torna tradição do Dia de Finados menos dolorosa

Administrações estão criando eventos para reduzir a dor dos visitantes, que se distraem com atividades culturais, educativas e até cuidam da saúde

Por clarissa.sardenberg

Rio - A tradição de ir aos cemitérios visitar e rezar pelo ente querido está mudando. As administrações estão criando eventos para reduzir a dor dos visitantes, que se distraem com atividades culturais, educativas e até cuidam da saúde, fazendo exames que podem prolongar a vida. É por aí a programação nos cemitérios para o feriado de quarta-feira, Dia de Finados.

Cemitério da Penitência teve estátuas vivas e boa música no Dia de Finados em 2015André Mourão / Agência O Dia

O da Penitência, no Caju, por exemplo, terá apresentação da Orquestra Maré do Amanhã, formada por 30 jovens das comunidades do Complexo da Maré, que fará um concerto às 11h. Além disso, músicos e estátuas vivas, representando anjos, estarão nas alamedas do cemitério recepcionando o público.

Na Baixada Fluminense, o Grupo Envida Rio manterá equipes de enfermagem em sete cemitérios, das 8h às 17h. A ação tem por objetivo oferecer gratuitamente exames de aferição de pressão e verificação de glicose nos visitantes. Os serviços estarão disponiveis nos seguintes cemitérios: Municipal de Queimados, Vale da Saudade (Queimados), Municipal de Nova Iguaçu, Municipal de Japeri, Mucajá (Engenheiro Pedreira), Carlos Sampaio (Austin) e Municipal de Mesquita.

O administrador do Cemitério da Penitência, Júnior Brenner, diz que a ideia é tornar o dia menos doloroso. “Criamos condições para as pessoas participarem de momentos para celebrar a vida. O cemitério precisa ser uma área de atendimento para acolher quem está indo ao local”.

Na unidade, as atividades começaram ontem, já que muita gente antecipa a visita. Várias pessoas participaram do workshop de confecção de arranjos de flores. A escolha do tema foi uma forma de inspirar os visitantes a encontrar coragem e força para superar as dificuldades da vida, especialmente nesta data triste.

Dia de festa em outros países

Em alguns países da América Latina, o feriado é tratado como um dia muito especial, de muita alegria para lembrar dos antepassados e mantê-los mais perto. Entre eles, estão o México, Bolívia e Guatemala. A data é comemorada com música, fantasias, apresentações teatrais, comida, decorações bem coloridas, com direito a caveiras e pipas gigantes. Para eles, o legado que uma pessoa falecida deixou deve ser lembrado com festa e reuniões da família e amigos.

No Brasil, os cemitérios de São Paulo tem se adaptado a este comportamento. O Grupo Primaveras, de Guarulhos, organiza velórios inspirado nos cinco sentidos. O conceito chamado de Acolhimento 5 Sentidos pretende criar um ambiente mais protetor, que possa aliviar as sensações de dor e tristeza que os familiares sentem nesse momento difícil. Os parentes podem homenagear queridos que se foram, com filmes e músicas, gravadas ou com músicos ao vivo. As salas possuem temas que destacam as emoções, como ‘Saudade’, ‘Amor’ e ‘Eternidade’.

“Queremos dar uma expressão à dor de cada pessoa. Celebrar a memória e a história da pessoa que morreu”, diz Gisela Adissi, diretora do Grupo Primaveras.
Entre os mimos oferecidos para amenizar a dor no dia 2, o Cemitério São Francisco Xavier, o maior do Rio, irá distribuir o kit antissaudade, com um coração feito em espuma onde estará escrita a frase “Quando a saudade apertar, aperte aqui.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia