Portal pede informações sobre suspeitos de matar dentista na Zona Oeste

Até o momento, a polícia já identificou cinco pessoas que estariam envolvidas no crime. Duas delas estão presas e três continuam foragidas

Por O Dia

Rio - O Portal dos Procurados oferece recompensa de R$ 1 mil por informações que levem a prisão dos suspeitos envolvidos na morte da dentista, Priscila Soares Nicolau dos Reis. Ela foi morta, na última segunda-feira, no Itanhangá, na Zona Oeste, quando traficantes tentavam invadir o Morro do Banco.

Até o momento, a polícia já identificou cinco pessoas que estariam envolvidas no crime. Duas delas estão presas e três continuam foragidas: um adolescente de 17 anos, Wesley Andre de Souza Adriano, o Cara de Vaca, de 21 anos, e Douglas de Melo, o Miguelinho, de 18 anos. 

Portal Procurados oferece recompensa por informações que levem aos suspeitos na morte da dentistaDivulgação

Após o confronto com policiais do 31º BPM (Recreio) que faziam patrulha na região, os suspeitos conseguiram se refugiar numa mata. Ao tentarem fugir do local, eles tentaram roubar o carro de Priscila. De acordo com a polícia, ela teria acelerado o veículo, um Kia Sorrento, e os bandidos dispararam. O carro foi atingido por 17 disparos e ela foi morta com um tiro na cabeça e outro no braço. 

Outros dois suspeitos de participarem do crime já foram presos: Ademilson Guedes Costa, o Nota Preta, de 22 anos, e Rafael Alves Peixoto, de 26 anos. Segundo a polícia, Ademilson é um dos homens que aparecem em um vídeo que mostra a invasão do Morro do Banco. 

De acordo com informações da polícia, Douglas já havia sido preso por associação ao tráfico de drogas e tentativa de homicídio. Já Wesley tinha passagem pela polícia por tráfico e foi preso em 2014.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos envolvidos na morte da dentista, pode denunciar pelos seguintes canais: WhatsApp ou Telegram dos Procurados (21) 96802-1650; pelo Facebook/(inbox), endereço: www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo aplicativo, no Apple Store ou Google Play. O anonimato é garantido.

Todas as informações sobre o caso vão ser encaminhadas para a Delegacia de Homicídios da Capital (DH), que está encarregada do inquérito criminal.


Últimas de Rio De Janeiro