Carioca vai ficar mesmo sem a Árvore de Natal da Lagoa

Empresa responsável por montagem da megaestrutura há 20 anos desiste do projeto e prefeitura não conseguiu outro patrocinador

Por O Dia

Rio - Pela primeira vez em 20 anos, cariocas e turistas que visitam o Rio não vão poder ver de perto aquela que se transformou em um ícone do Natal na cidade. Em nota oficial ao DIA, a empresa responsável pela Árvore de Natal da Lagoa informou o que muita gente já sabia informalmente, mas não queria acreditar.

“O Grupo Bradesco Seguros tem muito orgulho de ter patrocinado, por 20 edições consecutivas, a Árvore de Natal da Lagoa. Nesse período, contribuiu, com muito empenho, para que a Árvore se tornasse um dos símbolos da cidade do Rio de Janeiro, reconhecido por toda a população”, informa o texto enviado à reportagem na terça-feira.

Com 53 metros de altura%2C Árvore já bateu vários recordes no GuinessAlexandre Brum / Agência O Dia

A empresa justifica que “seu ciclo como patrocinador exclusivo está completo”, e que, por isso, já no primeiro semestre deste ano, comunicou à Prefeitura do Rio, ao idealizador da Árvore e a parceiros envolvidos a decisão de não mais patrocinar, com exclusividade, a Árvore de Natal da Lagoa. Diante da falta de interessados em assumir a empreitada, em um cenário de grave crise financeira no estado, a cidade vai ficar mesmo órfã damegaestrutura natalina flutuante, considerada a maior do mundo.

Procurada pelo DIA, a Riotur, empresa de turismo ligada à prefeitura, informou, por meio de sua assessoria, que não tem condições de arcar com o investimento, realizado há 20 anos pela iniciativa privada. Questionada se haveria alguma outra ação pela cidade que lembrasse o espírito natalino em pontos turísticos, a Riotur informou que não havia, até o momento, qualquer atividade prevista.

Com 53 metros de altura, a Árvore é considerada um marco das comemorações das festas de fim de ano no Rio. No ano passado, a estrutura sofreu com um vendaval na fase de montagem e, em vez de cinco mudanças de luzes, como planejado, foram apenas três. O projeto original previa 2,5 milhões de microlâmpadas, 105 km de mangueiras luminosas, seis geradores embarcados, 25 km de estruturas tubulares, 350 toneladas de peso, 53 metros de altura, 17 andares, 11 flutuadores de 12 toneladas, um trabalho de 1.500 pessoas envolvidas.

O valor do investimento realizado a cada ano, tradicionalmente, nunca foi revelado. Levantamento do #projetoColabora ano passado concluiu que o dinheiro investido nas 20 edições teria sido suficiente para despoluir a Lagoa Rodrigo de Freitas três vezes.

Últimas de Rio De Janeiro