Mais Lidas

Informe do DIA: Nomeação de merendeira gera mal-estar em secretaria

Kelly Serra do Amaral foi indicada por Fernando Mac Dowell e discutiu com integrantes da equipe

Por tabata.uchoa

Rio - A escolha da merendeira Kelly Serra do Amaral para comandar a Subsecretaria de Gestão da Secretaria Municipal de Transportes gerou mal-estar entre profissionais da pasta. Indicada pelo secretário Fernando Mac Dowell, Kelly Amaral discutiu com integrantes da equipe e determinou que funcionários só se referissem ao titular da pasta como “vice-prefeito”, cargo que Mac Dowell também acumula. 

Assinada pelo prefeito Marcelo Crivella, a nomeação de Kelly Amaral foi publicada no Diário Oficial de ontem.

Critério para a escolha
A assessoria de imprensa da secretaria diz que Kelly é merendeira concursada do município desde 2002 e que atuou “por vários anos na área de Gestão e Recursos Humanos da Secretaria de Educação”.

Técnico
Já Hildebrando Gonçalves Rodrigues (PR) foi nomeado por Crivella para ser o superintendente regional de Ramos, espécie de subprefeito da região. Del, como é conhecido, é líder comunitário no Complexo da Maré e ciceroneou o então candidato ao governo Anthony Garotinho (PR) durante campanha eleitoral na favela em 2014 — o Tribunal Regional Eleitoral chegou a apreender material de campanha irregular de ambos. A prefeitura afirma que Del não foi indicado por Garotinho e que a escolha atende a critérios técnicos.

Mudança
A estrutura da antiga Secretaria Estadual de Envelhecimento Saudável, que hoje é subordinada à de Saúde, migrará para a de Assistência Social e Direitos Humanos.
Pezão e a contrapartida.

Só mesmo a possibilidade de socorro financeiro do governo federal para fazer Pezão apoiar a privatização integral da Cedae. Antes, o governador era reticente quando tratava do tema. “Lembro do sufoco que meu pai passou quando privatizaram a Light. Vários funcionários foram demitidos”, dizia.

Carta
Grupo de auditores da receita estadual prepara uma carta para a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia. O documento pede a tramitação da Proposta de Súmula Vinculante 69, que desde 2012 aguarda para ser apreciada pelo STF.

Justificativa
A aprovação da súmula impediria o estado de conceder benefícios fiscais a empresas sem que estes passassem pelo crivo do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), do Ministério da Fazenda. Segundo os auditores, a maioria das isenções que hoje estão em vigor não foi analisada pelo Confaz, mas concedida por meio de decretos ou leis de forma unilateral.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia