Mais Lidas

Família de estudante morta em escola de Acari pedirá indenização ao estado

Segundo advogado, mesmo que os disparos não tenham partido dos policiais, a responsabilidade é do estado

Por caio.belandi

Rio - A família da estudante Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, morta a tiros dentro de uma escola em Acari, na Zona Norte do Rio, na tarde da última quinta-feira, entrará com um processo pedindo indenização ao estado pelo assassinato da adolescente.

A pedido do Movimento Rio de Paz, o advogado João Tancredo será o responsável pela ação. Segundo Tancredo, saber a origem dos disparos é irrelevante no caso. Ele alega que o simples fato de ocorrer um confronto com agentes públicos coloca responsabilidade no estado. “Esse não é o papel do estado. Tiro não pode ser a primeira hipótese”, diz.

Tancredo lembra ainda de outros casos recentes no Rio de Janeiro que deixaram vítimas inocentes, incluindo crianças. “Não podemos mais aceitar esse tipo de coisa. Se a polícia é acionada ela deve ter cautela e não protagonizar cenas como as que estão sendo veiculadas na internet. A morte de policiais, tiroteio perto de escola, execução sumária, tudo isso é inaceitável”, justifica.

Maria Eduarda Alves da Conceição%2C de 13 anos%2C foi morta dentro da escola onde estudava%2C em Acari. Reprodução Facebook

O advogado ajudou na liberação do corpo da adolescente, na manhã deste sábado. Ela será sepultada no Cemitério Jardim da Saudade de Edson Passos, em Mesquita, na parte da tarde.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia