Médica que se recusou a atender bebê é indiciada por homicídio doloso

De acordo com a delegada Isabelle Conti, não foi pedida a prisão preventiva da médica e cabe ao MP apresentar a denúncia

Por O Dia

Rio - A médica Haydee Marques da Silva — que se recusou a atender o bebê Breno Rodrigues Duarte da Silva, morto por complicações em seu quadro clínico — foi indiciada nesta segunda-feira (3) por homicídio doloso (quando há a intenção de matar). De acordo com a delegada responsável pelo caso, Isabelle Conti, não foi pedida a prisão preventiva da médica e agora cabe ao Ministério Público apresentar a denúncia à Justiça. 

Haydee Marques da Silva foi indiciada por homicídio dolosoSeverino Silva/Agência O Dia

Breno tinha um ano e seis meses e morreu uma hora e meia depois da médica Haydee se recusar a levá-lo para um hospital na ambulância solicitada pela família. A justificativa da médica era que tinha acabado o seu turno. A criança faleceu após vomitar e se engasgar, enquanto esperava por outro socorro.

Em depoimento, Haydee afirmou que não tinha responsabilidade na morte de Breno. "Estou triste e muito abalada pela criança ter morrido, mas não estou arrependida porque não fiz nada de errado do código de conduta médica. Eu pedi outra unidade, com pediatra para atendê-lo. Não sou pediatra, não sou neurologista, pedi à outra unidade de ambulância para atender esta criança. Disseram que a unidade estava indo”, disse.

Além de ter sido investigada pela morte de Breno, Haydée também possui uma anotação criminal por agredir uma paciente no ano de 2010.



Últimas de Rio De Janeiro