Mais Lidas

Justiça decreta prisão preventiva de suspeitos de matar PM no Lins

Samir de Oliveira foi atingido por disparos ao abordar um veículo onde estavam quatro homens armados com pistolas e fuzil

Por luana.benedito

Rio - O juiz Marco José Mattos Couto manteve a prisão preventiva de Hélio Rafael Alves de Souza, Jamerson Gonçalves de Andrade e Lizien Francisco da Silva Alves, em audiência de custódia realizada nesta segunda. Os três são suspeitos de terem assassinado o policial militar Samir da Silva de Oliveira nesta sexta-feira, no bairro do Lins, Zona Norte do Rio.

De acordo com as investigações, o policial — lotado na Unidade de Polícia Pacificadora do São João — foi atingido por disparos ao abordar um veículo onde estavam quatro homens armados com três pistolas e um fuzil. O carro era roubado, segundo a PM. Todos os suspeitos foram posteriormente presos, três deles pela UPP e o Méier Presente.

O Plantão Judiciário já havia convertido a prisão em flagrante em prisão preventiva no fim de semana. 

“A garantia da ordem pública impõe a prisão porque não se pode admitir que os presos continuem expondo as pessoas de bem de nossa sociedade, e que o passado delituoso dos detidos sugere que, em liberdade, eles possam evitar eventual execução penal, caso venham a ser condenados. Sendo assim, a prisão cautelar é necessária para garantia da ordem pública e para assegurar a aplicação da lei penal”, ressaltou o juiz em sua decisão. 



Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia