Polícia Civil faz operação na Baixada contra quadrilha que pratica sequestro-relâmpago

Vítimas eram atraídas através de falsos anúncios de compra e venda de veículos na Internet. Um morador de Jacarepaguá foi assassinado quando foi a Duque de Caxias, na Baixada, para "fechar uma compra"

Por RAFAEL NASCIMENTO

Ontem foram detidos 12 suspeitos. Investigação da DHBF começou após morte em Duque de Caxias
Ontem foram detidos 12 suspeitos. Investigação da DHBF começou após morte em Duque de Caxias -

Rio - A Polícia Civil realiza, na manhã desta quinta-feira, a operação Web em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na capital e em Três Rios, interior do estado, contra um quadrilha que praticava sequestro-relâmpago. As vítimas eram atraídas através de falsos anúncios de compra e venda de veículos na Internet feitos em sites. A ação, que também conta com o Ministério Público do Rio através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), visa cumprir 18 mandados de prisão e 19 de busca e apreensão.

Doze pessoas já foram presas, entre elas os principais líderes da quadrilha: Fabrício Silêncio de Oliveira, o FB; Claudio Neves da Silva Reis, o Tinen; Wendersson do Nascimento Ruela, o Coxinha; Tales Marcos da Silva Gomes, o Loirinho; Gelson Pinheiro da Cruz, o Testão; Luciano de Oliveira Santos; e Froncois de Morais Cabral, o Franklin. 

Organograma da quadrilha que aplicava golpes pela internet - Divulgação Polícia Civil

"Acreditamos que essa operação de hoje tende a desarticular esse tipo de modalidade criminosa que lesa pessoas de boa fé que, inocentemente, se propõem a fazer um negócio pela internet e se depara com essa situação macabra", disse o promotor do Gaeco, Fábio Corrêa. 

A investigação da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) teve início há três meses, após um homem, morador de Jacarepaguá, ter sido assassinado em Caxias, depois que saiu para comprar um veículo oferecido em um site de venda de veículos na Internet. É o caso do corretor de imóveis Alex Sandro Barbosa, que desapareceu no dia 27 de junho. Uma ossada foi encontrada e passará por exames para a identificar se é uma vítima da quadrilha.

Além de Alex, outros cinco casos estão sendo investigados e a polícia acredita que pelo menos duas pessoas teriam sido mortas pelos criminosos. Militares do Corpo de Bombeiros atuaram com o uso de cães farejadores com o objetivo de encontrar possíveis vítimas.

De acordo com o delegado Daniel Rosa, titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, a quadrilha tinha ramificações. Uns aliciavam as vítimas através do site OLX, outros sequestravam. Parte do bando pegava os cartões da vítimas e fazia a compra de carnes e outros produtos, que era revendido por uma outra célula criminosa. Havia também um grupo responsável pelo desmonte de veículos roubados e a revenda das peças.

Operação da Polícia Civil prende membros de quadrilha que praticava sequestros-relâmpago - Estefan Radovicz / Agência O Dia

As pessoas sequestradas — que chegavam a ficar de 12 a 15 horas em poder dos bandidos — eram obrigadas a fornecer senhas e outros dados bancários para a transferência dos valores que elas tinham em conta. Até empréstimos os sequestrados eram obrigadas a realizar. "Conseguimos desbaratar essa quadrilha covarde que vinham agindo na Baixada e no Rio com esse anuncio da falsa venda. É importante que a população tenha cuidado na compra de veículo pela internet. Nunca faça nada em local que não seja público. Na dúvida, procure a polícia", destacou Daniel Rosa.

Ainda segundo as investigações, os criminosos atuam também no tráfico de drogas, armas e receptação e adulteração de veículos roubados. Buscas também foram feitas no Mercado Popular da Uruguaiana, no Centro do Rio, onde os criminosos tinham receptadores que compravam peças de veículos, pertences subtraídos e produtos comprados pelos criminosos com cartões de crédito das vítimas sequestradas. Participaram da ação 130 policiais das três Delegacias de Homicídio, a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), 66ª DP (Piabetá) — onde começou a investigação — e 33ª DP (Realengo).

Operação da Polícia Civil prende membros de quadrilha que praticava sequestros-relâmpago - Estefan Radovicz / Agência O Dia

 

Procurada pelo O DIA, a OLX informou em nota que "repudia e lamenta profundamente o fato" e esclarece que "sua atividade consiste na disponibilização de espaço para que usuários possam anunciar e encontrar produtos e serviços de forma rápida e simples".

"A OLX reforça que a ferramenta foi criada para auxiliar no desenvolvimento social e econômico do país e que os usuários devem respeitar os Termos e Condições de Uso do site (https://go.olxbr.com/termos-condicoes-olx). Infelizmente, algumas vezes as ferramentas disponíveis no mercado são utilizadas por terceiros de má índole. A empresa condena este tipo de atitude, pois ela vai contra as regras da OLX", diz o comunicado. 

Ainda de acordo com a OLX, é preciso ter alguns cuidados antes de efetuar uma compra pelo site. Confira quais são:

- Prefira fechar negócio em um lugar público. Sempre que possível, vá acompanhado;

- Evite realizar qualquer tipo de depósito antecipado (pagamento de entrada) sem antes ver o carro. Certifique-se de que o veículo existe, está em bom estado e contém todos os acessórios anunciados;

- Para vendas entre pessoas não jurídicas, busque sempre realizar a transferência em cartório e após a confirmação do pagamento;

- Desconfie dos vendedores que alegam que ganharam o veículo em uma promoção/sorteio ou alegam ser ex-funcionários de uma empresa e que oferecem o veículo em perfeito estado com valores abaixo do mercado;

- Caso esteja negociando com uma concessionária, busque sempre ir ao local. Novamente, evite qualquer pagamento antecipado;

- Verifique se o vendedor é o proprietário legítimo do veículo. Você pode verificar se o documento do carro é verdadeiro entrando em contato com o DETRAN. Aproveite também para verificar, pelo Renavam*, se o veículo tem multas e IPVA pendentes. Desconfie de negociações em que o vendedor não possua ou não queira compartilhar estes dados.

- Faça uma revisão com um mecânico de confiança antes de efetuar o pagamento;

- Antes de se encontrar com o vendedor/comprador, busque informações sobre ele. Pergunte o nome com sobrenome, lugar onde mora ou trabalha, telefone para contato ou e-mail, entre outras informações que possam ajudar a identificá-lo;

- Ao entrar em contato com o vendedor, evite negociações com terceiros. Certifique-se de que vendedor é o legítimo proprietário, evitando aceitar contatos de terceiros;

- Caso esteja negociando com uma concessionária, evite realizar depósitos em contas de pessoas físicas.

Mais dicas estão disponíveis nos links: https://go.olxbr.com/dicas-comprar-olx e https://go.olxbr.com/dicas-vender-olx 

 

*Registro Nacional de Veículos Automotores é o documento que nos permite verificar todo o histórico do carro. O Renavam é como se fosse o CPF, RG, Certidão de Nascimento e Óbito do veículo e vem impresso no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), emitido pelo DETRAN, ou no documento de Transferência do Veículo.

Galeria de Fotos

Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fazem ação que mira quadrilha que fazia sequestro-relâmpago após aliciar vítimas em falsos anúncios de venda de veículos Divulgação
Ontem foram detidos 12 suspeitos. Investigação da DHBF começou após morte em Duque de Caxias Estefan Radovicz
Operação da Polícia Civil prende membros de quadrilha que praticava sequestros-relâmpago Estefan Radovicz / Agência O Dia
Operação da Polícia Civil prende membros de quadrilha que praticava sequestros-relâmpago Estefan Radovicz / Agência O Dia
Operação da Polícia Civil prende membros de quadrilha que praticava sequestros-relâmpago Estefan Radovicz / Agência O Dia
Organograma da quadrilha que aplicava golpes pela internet Divulgação Polícia Civil
Bando preso nesta quinta-feira Divulgação Polícia Civil

Últimas de Rio de Janeiro