Funcionários do Supermercado Mundial fazem paralisação por melhores condições de trabalho - Estefan Radovicz / Agência O D
Funcionários do Supermercado Mundial fazem paralisação por melhores condições de trabalhoEstefan Radovicz / Agência O D
Por O Dia

Rio - Trabalhadores da rede de supermercados Mundial realizam, nesta terça-feira, uma paralisação em frente a unidade da Rua Riachuelo, na Lapa, no Centro do Rio. Entre as reivindicações, está o reajuste salarial de 10%.

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, sancionou a lei do piso regional com um reajuste de 4%, após aprovação pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), em fevereiro deste ano. No entanto, nos últimos meses, o aumento oferecido foi de 1,60%, ou seja, um reajuste de 60 centavos no salário, não alcançando nem a metade do que foi estipulado pelo governador.

Além disso, eles cobram 100% de folgas nos feriados e exigem folgas aos domingos, além do pagamento total das horas extras. Segundo as informações, há funcionários que trabalham mais de 12 horas por dia. Há, também, a questão da redução da hora de almoço para apenas 30 minutos.

Segundo Paulo Farias, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Rio de Janeiro, "a postura dos patrões e donos da rede Mundial de negar uma negociação para a melhora das condições dos trabalhadores contrasta com o lucro que eles recebem", disse. "Mesmo com a crise, eles estão lucrando muito", completou Paulo Farias.

Alguns funcionários que tentaram entrar no supermercado para cumprir o seu turno estão sendo impedidos pelos manifestantes. Princípios de confusões já foram registrados na porta do estabelecimento.

De acordo com Paulo Farias e Renato Bernardino, diretor do Sindicato dos Empregados do Comércio do Rio, houve uma assembléia com os funcionários onde ficou decidido que a unidade ficará fechada até o final do dia, tendo possibilidade de estender o prazo.

Em nota, a rede de Supermercados Mundial disse que "há um movimento isolado e ilegal fomentado pelo Sindicato dos Comerciários na loja do Bairro de Fátima" e que a empresa está tomando as medidas legais necessárias para que a filial retome suas atividades. As demais unidades funcionam normalmente.

"A empresa ressalta que o número de demissões de 2018 corresponde a menos da metade se comparado ao mesmo período de 2017. A rede possui 9 mil colaboradores e esse ano já abriu uma filial na região da Barra da Tijuca e se prepara para inaugurar uma loja em Niterói. O Mundial informa que cumpre integralmente o acordo firmado no final do ano passado com o Sindicato dos Comerciários do Estado do RJ", diz o texto.

Você pode gostar