PM acusada de aplicar golpes é expulsa

Luciana Amaral é investigada por vender kits de corrida e não entregar o material

Por O Dia

A soldado estava de licença médica, mas corria maratonas
A soldado estava de licença médica, mas corria maratonas -

Rio - A soldado da PM Luciana Amaral está sendo investigada por aplicar golpes de venda de kits de corrida de rua, sem entregar o material e inscrever o nome dos corredores. Ela foi expulsa da corporação por correr maratonas enquanto estava afastada do serviço por licença médica.

O processo sobre o golpe ainda não foi concluído, mas foi comprovado que a militar tinha essa outra renda, o que seria ilegal na corporação. Luciana era lotada no 19º BPM (Copacabana).

A expulsão da soldado, publicada no boletim interno da corporação de segunda-feira, foi publicada pelo Jornal Extra e confirmada pelo DIA. Nele, a Corregedoria justifica a expulsão afirmando que a militar "evidenciou um desvio de conduta que acarretou uma sobrecarga de serviço aos demais policiais militares e causou danos irreparáveis à sociedade e à corporação". Além disso, afirmou que a soldado agiu de má-fé e deslealdade.

A investigação interna anexou arquivos de fotos, datas de eventos e comprovantes de inscrições da militar em maratonas que dizia estar com dores no joelho para não trabalhar.

Uma das postagens, feita no seu Facebook em 2 de janeiro, quando a soldado só realizava trabalhos internos por conta de sua suposta condição física, há uma foto com roupas esportivas e legenda: "Põe mais 42km de bike. Cansada? Claro que não". Em sua defesa, a militar disse que somente caminhou, não correu as distâncias postadas.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro