Ruínas do Museu Nacional, um novo 'cartão-postal'

Com celulares na mão ou lágrimas nos olhos, centenas de pessoas se mostravam comovidas com a situação do prédio histórico

Por RAFAEL NASCIMENTO

Visitantes aproveitaram passeio na Quinta da Boa Vista para selfies
Visitantes aproveitaram passeio na Quinta da Boa Vista para selfies -

Rio - O Museu Nacional sempre foi um dos principais atrativos da Quinta da Boa Vista, na Zona Norte. No feriado da Independência, no entanto, o motivo da visita ao tradicional ponto de lazer foi diferente. Com celulares na mão ou lágrimas nos olhos, centenas de pessoas se mostravam comovidas com a situação do Museu.

"Esse é um local muito importante, diversas pessoas dedicaram sua vida pelo Museu Nacional. É difícil chegar aqui e ver apenas a fachada desse prédio histórico. Lamento porque nunca entrei no Museu, mas vim com minha família para ver de perto o resultado do incêndio", afirmou a dona de casa Noêmia Berbert.

O diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, não se surpreendeu com a grande presença de público após o incêndio. "É comovente ver como as pessoas abraçam o museu, eu tinha certeza que seria assim. A gente sabe o amor que a sociedade tem por essa instituição, o que a gente não sabia era do desamor por parte dos órgãos e do governo que poderiam ter evitado essa tragédia", comentou Kellner.

"Apenas depois da perícia que entraremos no palácio para fazer a devida recuperação do acervo", completou.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro