Mais Lidas

Estudante denuncia agressão por homofobia em escola no Méier

Polícia Civil investiga o caso, ocorrido num colégio estadual

Por O Dia

Estudante foi agredido a pauladas em colégio do Méier
Estudante foi agredido a pauladas em colégio do Méier -

Rio - O estudante H. do Colégio Estadual Visconde de Cairu, no Méier, diz que foi agredido dentro da unidade, na tarde desta segunda-feira. Ele relatou em sua conta no Facebook que ele e o amigo J. foram vítimas de homofobia. A Polícia Civil informou, via assessoria de imprensa, que investiga o caso após registro de lesão corporal ter sido feito na 23ª DP (Méier). A Secretaria Estadual de Educação esclareceu que os alunos envolvidos no episódio são maiores de idade.

Segundo relato de H., o agressor era desconhecido por ele e seus colegas na escola. O estudante relatou que foi ameaçado junto com o amigo J. E disse que, após a ameaça, o agressor o surpreendeu com um pedaço de madeira. Acabou agredido na cabeça e precisou levar oito pontos.

"A agressão continuou com socos e pontapés. Quando ele viu que eu caí, começou a bater no meu amigo, que tomou madeiradas e socos no rosto", continuou H. O criminoso conseguiu fugir com a ajuda de comparsas. 

Jovem teria entrado com pedaço de madeira na escola - Reprodução/ Facebook

O estudante disse que foi amparado por professores e funcionários, que ajudaram a estancar o sangue. Ele disse que profissionais do colégio chamaram a polícia e uma ambulância. A Secretaria Estadual de Educação disse que o caso está a cargo da Polícia Civil.

"Até quando vamos ter que passar por isso? Não vamos nos calar. Se fere nossa existência, somos resistência", finalizou H.

A Polícia Civil informou que as investigações estão em andamento na 23ª DP (Méier). "Agentes estão, neste momento, em diligências em busca de mais informações", dizia a nota da instituição que chegou à redação do DIA às 16h53 desta terça-feira.

H. denunciou agressão por homofobia no Facebook - Reprodução/ Facebook

A Ala da Comunidade da Estação Primeira de Mangueira divulgou uma nota de repúdio à agressão sofrida por H., que integra este grupo da escola de samba.

"Lamentamos ainda mais que o ataque tenha acontecido dentro de uma escola, o Colégio Estadual Visconde de Cairu. Não podemos ficar reféns do ódio e da violência. Estamos juntos na luta por uma sociedade mais justa, democrática e igualitária para todas e para todos!".

Em nome de coordenadores e coordenadoras, componentes e da vice-presidente Guanayara Firmino, a ala repudia qualquer ato de homofobia, de discriminação racial, machismo entre outros discursos de ódio. 

"Queremos que sua alegria e amor pela Estação Primeira de Mangueira seja nossa companheira por muitos e muitos anos. Estamos juntos!", finaliza a nota. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Estudante foi agredido a pauladas em colégio do Méier Reprodução/ Facebook
Agressor teria entrado com pedaço de madeira na escola Reprodução/ Facebook
Jovem disse que precisou levar oito pontos na cabeça Reprodução/ Facebook
H. denunciou agressão por homofobia no Facebook Reprodução/ Facebook