Witzel inicia transição para o governo do estado

Três secretários de Pezão se reúnem hoje com o coordenador da futura gestão

Por CÁSSIO BRUNO

O governador eleito Witzel fez uma visita de cortesia a Luiz Fernando Pezão, no Palácio Guanabara
O governador eleito Witzel fez uma visita de cortesia a Luiz Fernando Pezão, no Palácio Guanabara -

Rio - O governador do Rio eleito Wilson Witzel (PSC) inicia hoje o período de transição da administração estadual. Será a primeira reunião, a partir das 13h, no Palácio Guanabara, entre a nova gestão e os três secretários indicados ontem por decreto pelo atual governador Luiz Fernando Pezão (MDB).

O empresário José Luís Cardoso Zamith, 46 anos, foi o escolhido por Witzel para ser o coordenador-geral de transição. Da equipe de Pezão, farão parte os secretários Affonso Monnerat (Governo), Sérgio Pimentel (Casa Civil) e Luiz Cláudio Gomes (Fazenda).

Os trabalhos só começariam na próxima segunda-feira, mas Pezão quis antecipar. Segundo ele, serão repassadas ao grupo de Witzel informações relacionadas, principalmente, às finanças. Relatórios sobre reforma administrativa e cargas tributárias já foram entregues ontem por Pezão ao novo governador em visita de cortesia no Palácio Laranjeiras.

"A prioridade é reativar a economia, gerar emprego, levar o poder de compra à população. A recessão só contribui para a violência, para problemas na saúde", disse o vice-governador eleito e vereador Cláudio Castro (PSC), que participará da transição.

De acordo com o decreto de Pezão, os secretários deverão entregar, até 22 de novembro, dados sobre programas realizados e em execução; assuntos que demandarão ação ou decisão da administração nos 100 primeiros dias do novo governo; projetos que aguardam implantação ou que tenham sido interrompidos e as contas públicas do governo.

Procurada pelo DIA, a assessoria de imprensa de Wilson Witzel informou que José Luís Cardoso Zamith não daria entrevista.

Diretor administrativo

Indicado por Witzel como coordenador de transição, Zamith é sócio de uma empresa de consultoria que tem o seu nome, com sede na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Tem capital social de R$ 90 mil e foi aberta em 25 de julho de 2016. Ele conhece o novo governador há mais de 20 anos e foi um dos coordenadores da campanha do então candidato do PSC.

Atualmente, Zamith também é diretor administrativo da BCV Consulting, que oferece serviço de apoio ao desenvolvimento de negócios na América Latina. Foi da Marinha de 1990 a 2007 e é capitão de Corveta e fuzileiro naval da reserva.

Pedido de desculpas

Em entrevista à Globo News, ontem, Wilson Witzel pediu desculpas à família da vereadora Marielle Franco (PSOL) pela quebra da placa em sua homenagem. O ato foi do deputado estadual eleito Rodrigo Amorim (PSL). Witzel estava presente. Marielle foi morta em 14 de março. O crime até hoje não foi solucionado.

"Fiquei constrangido. Mas se quer que eu peça desculpa por um erro que não foi meu, eu peço. Desculpe Marielle, a sua vida, a sua família", disse.

Witzel afirmou também que quer treinar atiradores de elite para 'abater' criminosos em favelas. Disse ainda que pretende manter soldados do Exército no estado por mais dez meses mesmo após o fim da Intervenção Federal na Segurança, que termina em 31 de dezembro.

Galeria de Fotos

O governador eleito Witzel fez uma visita de cortesia a Luiz Fernando Pezão, no Palácio Guanabara Divulgação
Governador eleito colocou empresário à frente de sua equipe Marcio Mercante / Agencia O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro