PM faz operação na Cidade de Deus pelo segundo dia consecutivo

Bandidos colocaram fogo em pneus e fizeram barricadas para impedir o avanço dos policiais

Por O Dia

O blindado da PM participa da operação
O blindado da PM participa da operação -

Rio - A Polícia Militar realiza, nesta quarta-feira, uma operação na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio. É o segundo dia consecutivo que a corporação faz ação na comunidade de Jacarepaguá. De acordo com a PM, agentes do Comando de Operações Especiais (COE) foram enviados à região. O Exército também participa da operação. Bandidos colocaram fogo em pneus e fizeram barricadas para impedir o avanço dos militares.

Participam da operação homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), do Batalhão de Ação com Cães (BAC), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) e do Grupamento Aeromarítimo (GAM).

A PM pede para que a população ajude na ação dos militares. "Contribua com quaisquer informações, ao Disque Denúncia, que levem à prisão ou apreensão de criminosos armas e drogas", solicita, pelo Twitter.

Não há informações sobre prisões, apreensões ou feridos em possíveis confrontos.

De acordo com o Comando Conjunto, foram liberadas 12 vias de acesso à comunidade, e mais de 20 barricadas e abrigos removidos.

Desde o início da Intervenção Federal, aproximadamente 1.200 barricadas instaladas por criminosos já foram removidas no Estado do Rio de Janeiro. 

Desde o início da Intervenção Federal, aproximadamente 1,2 mil barricadas instaladas por criminosos já foram removidas no Estado do Rio de Janeiro. - Divulgação / Comando Conjunto

Tiroteio

Na operação realizada nesta terça, bandidos entraram em confronto com policiais que estavam em um blindado do batalhão de Jacarepaguá (18º BPM), na localidade conhecida como Ponte Azul. Moradores ficaram o meio do fogo cruzado e saíram correndo para se proteger.

Galeria de Fotos

O blindado da PM participa da operação Reprodução / TV Globo
Desde o início da Intervenção Federal, aproximadamente 1,2 mil barricadas instaladas por criminosos já foram removidas no Estado do Rio de Janeiro. Divulgação / Comando Conjunto

Últimas de Rio de Janeiro