PM é morto após furar bloqueio do Exército em Belford Roxo

Soldado Diogo Gama Alves Mota, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Andaraí, furou dois bloqueios militares e foi baleado e morto. O carro de um morador da região acabou atingido pelo veículo do policial e o motorista também foi atingido por um tiro na perna

Por RAFAEL NASCIMENTO

Militares isolam cena do crime: PM foi morto pelo Exército ao furar dois bloqueios e fazer disparos, segundo o Comando Militar do Leste (CML)
Militares isolam cena do crime: PM foi morto pelo Exército ao furar dois bloqueios e fazer disparos, segundo o Comando Militar do Leste (CML) -

Rio - Um policial militar morreu, na manhã desta quarta-feira, durante uma megaoperação das forças de segurança em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele foi baleado após furar dois bloqueios feitos pelo Exército na Avenida Joaquim da Costa Lima, no trecho próximo à rua Catumbi, no bairro São Leopoldo, por volta das 5h, e fazer disparos. O soldado foi identificado como Diogo Gama Alves Mota, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Andaraí, e seguia para o trabalho. Muito abaladas e chorando muito, a esposa do PM e uma irmã estão no local onde aconteceu o crime. 

Segundo fontes da PM, nada contra o policial foi encontrado dentro do seu carro. No veículo do militar tinha apenas a pistola — registrada no nome da PM — e um rádio transmissor. No momento que Diogo seguia para o trabalho, ele estava sem a farda.

Segundo balanço parcial do Comando Militar do Leste (CML), até agora foram detidos oito suspeitos, quatro barricadas foram removidas, quatro carros roubados foram recuperados. Além de uma pistola, dois carregadores de pistolas e dois rádios transmissores e farto material entorpecente — ainda não contabilizado — foram apreendidos.

Diogo não estava em serviço no momento da ocorrência e estava em um veículo particular, um Kia Cerato. Ele furou os bloqueios atirando contra as equipes do Exército e descumpriu uma ordem de parada. No segundo bloqueio, os militares começaram a atirar contra o soldado, que perdeu o controle do seu carro e bateu no veículo de um popular, que acabou sendo atingido por um tiro na perna. 

De acordo com o CML, "após desobedecer às determinações de parar e ignorar os demais sinais de advertência previstos nas regras de engajamento, foi alvejado por disparo de arma de fogo decorrente da legítima reação da tropa, indo a óbito no local".

DHBF está no local para realizar perícia - Agência O DIA

O homem baleado,que seria morador da região e ainda não foi identificado, foi socorrido para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, na Região Metropolitana do Rio, e não corre risco de morte. Ele passava no local em um Chevrolet Cobalt quando o carro do PM bateu no seu e ele acabou ferido. Tanto o carro do policial quanto do morador foram atingidos por vários disparos.

Policiais da Delegacia de Homicídio da Baixada Fluminense (DHBF) chegaram no local por volta das 8h30 para realizar a perícia. Um trabalho pericial também é feito pelo Exército. Cápsulas de armas foram recolhidas e os agentes buscam imagens de câmeras de segurança para tentar entender como começou a troca de tiros. A Avenida Joaquim da Costa Lima foi interditada para o trabalho de perícia. 

 

Diogo Gama Alves Mota - Divulgação

Mais de 3 mil militares em 18 comunidades de Belford Roxo

As Forças de Segurança realizam, desde a madrugada desta quarta-feira, uma operação em 18 comunidades de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Os militares estão na Palmeira, Castelar, Vilar Novo, Santa Amélia, Morro da Fonte, São Leopoldo, Gogó da Ema, Bom Pastor, Parque São Vicente, Parque Floresta, Morro da Galinha, Morro da Caixa D'Água, Morro do Machado, Guaxa, Parque Roseiral, Vale do Ipê, Parque São José e Santa Teresa. São 3 mil agentes das Forças Armadas, 130 policiais civis e 250 policiais militares, com apoio de blindados e aeronaves.

De acordo com o Comando Conjunto da Intervenção Federal na Segurança Pública do Rio, os militares estão fazendo cerco, estabilização dinâmica das áreas e remoção de barricadas. Também são realizadas revistas de pessoas e de veículos, além da checagem de antecedentes criminais. Além disso, os agentes verificam denúncias de atividades criminosas e mandados judiciais poderão ser cumpridos.

Galeria de Fotos

Militares isolam cena do crime: PM foi morto pelo Exército ao furar dois bloqueios e fazer disparos, segundo o Comando Militar do Leste (CML) Estefan Radovicz / Agência O Dia
PM foi baleado por militares das Forças Armadas após furar dois bloqueios da operação Agência O DIA
DHBF está no local para realizar perícia Agência O DIA
Diogo Gama Alves Mota Divulgação

Últimas de Rio de Janeiro