Polícia militar prende quadrilha internacional especializada em furto de celulares

Treze pessoas foram presas, entre elas colombianos, venezuelanos e bolivianos, com mais de 100 aparelhos telefônicos que tinham sido roubados dos frequentadores do evento 'Fica Comigo', no Maracanãzinho

Por RAFAEL NASCIMENTO

Dezenas de vítimas dos ladrões lotaram a 18ª DP (Praça da Bandeira)
Dezenas de vítimas dos ladrões lotaram a 18ª DP (Praça da Bandeira) -

Rio - Integrantes de uma quadrilha internacional especializada em furto de celulares foram presos durante a festa "Fica Comigo", que aconteceu no Maracanãzinho, na Zona Norte do Rio, na noite desta segunda-feira. Treze pessoas foram presas, entre elas colombianos, venezuelanos e bolivianos, com mais de 100 aparelhos telefônicos que tinham sido roubados dos frequentadores do evento.   

Somente uma mulher integrante da quadrilha carregava em uma cinta presa ao corpo 14 celulares roubados. A quadrilha comprava ingressos na área VIP das festas com o objetivo de furtar o aparelho das pessoas. Até a manhã desta terça-feira, cerca de 50 pessoas foram à 18ª DP (Praça da Bandeira) para recuperar seus telefones. Para a distrital foram levados 84 smartphones e, até 13h20, tinham sido devolvidos 45. Alguns celulares roubados estão à disposição no portão 7 do Maracanãzinho, onde aconteceu o evento.

Rio de Janeiro, 20/11/2018 - Adriana Andrade, vítima da festa "Fica Comigo", que levou centenas de pessoas ao Maracanãzinho para curtir músicas de axé e pagode. Mais de 100 jovens participantes dessa festa foram furtadas. Foto: Luciano Belford/Agencia O Dia - Luciano Belford/Agencia O DIa

A aeromoça Camila Capela da Silva, de 27 anos, se preparava para ir para o trabalho na manhã deste terça-feira quando viu na TV uma reportagem que mostrava seu aparelho, furtado assim que ela entrou na festa no Maracanãzinho. "Eu entrei na festa pouco depois de meia noite e fui direto comprar cerveja. Abri a bolsa, peguei a carteira e passei o cartão para pagar. Quando fui guardar o cartão, percebi que tinham roubado o meu celular (um Samsung 9 Plus)", narrou, dizendo que uma amiga avisou à produção do evento, que orientou a "mandar uma mensagem no SAC do Reclame Aqui, marcando o evento".

Camila disse que ainda ficou até 2h da manhã na festa e, quando saía do local, percebeu que não era a única vítima: dezenas de pessoas que também tinham sido furtadas se aglomeravam na saída do evento. A produção criou uma espécie de "revista" na saída e pedia para os frequentadores desbloquearem seu celulares para mostrar que eram os donos. Uma lista continha o nome das dezenas de pessoas roubadas. As vítimas reclamam que houve demora para a PM entrar no evento, o que aconteceu somente após uma negociação. 

Assim como a aeromoça, a assistente administrativa Adriana Andrade, de 40 anos, pagou R$ 150 para ir à festa "Fica, Comigo" e foi roubada. Ela esteve durante a madrugada na delegacia da Praça da Bandeira e não encontrou o seu aparelho. Somente nesta manhã, na segunda vez na 18ª DP, recuperou o seu iPhone 8 Plus. Ao DIA, fez duras críticas ao evento. "O local não estava preparado para o show. Estava super lotado e acredito que foi nesse tumulto que aproveitaram para roubar a gente. Nunca mais volto a essa festa".

 

Alguns dos celulares recuperados pela polícia - Reprodução / Twitter PMERJ

 

Galeria de Fotos

Dezenas de vítimas dos ladrões lotaram a 18ª DP (Praça da Bandeira) Luciano Belford
Quadrilha internacional especializada em furto de celulares é presa nesta segunda-feira Reprodução
Alguns dos celulares recuperados pela polícia Reprodução / Twitter PMERJ
Rio de Janeiro, 20/11/2018 - Adriana Andrade, vítima da festa "Fica Comigo", que levou centenas de pessoas ao Maracanãzinho para curtir músicas de axé e pagode. Mais de 100 jovens participantes dessa festa foram furtadas. Foto: Luciano Belford/Agencia O Dia Luciano Belford/Agencia O DIa
Rio de Janeiro, 20/11/2018 - Suelen Diego Ferreira, vítima da festa "Fica Comigo", que levou centenas de pessoas ao Maracanãzinho para curtir músicas de axé e pagode. Mais de 100 jovens participantes dessa festa foram furtadas. Foto: Luciano Belford/Agencia O Dia Luciano Belford/Agencia O DIa

Últimas de Rio de Janeiro